RMC

Economia, tecnologia e rapidez marcam nova etapa do serviço de manutenção da rede de iluminação pública de Campina Grande do Sul

Modernização da gestão do serviço resulta em redução de 92,5% nas reclamações de trocas de lâmpadas na cidade

Um moderno e dinâmico aplicativo interno está sendo utilizado pela Prefeitura Municipal de Campina Grande do Sul, por meio da Secretaria de Infraestrutura, Logística e Meio Ambiente, para criar um sistema de georreferenciamento dos pontos de iluminação pública da cidade. O recurso consiste em situar cada poste por meio coordenadas geográficas traçadas pelo Google, possibilitando a identificação de cada equipamento numa espécie de mapa digital.

 

Para o cidadão que já conhece o serviço de tele atendimento disponível por meio do número gratuito 0800 100 68 68, ao solicitar a substituição de lâmpadas queimadas, por exemplo, a partir de agora poderá mencionar a identificação do poste cujo reparo for necessário. Isso porque, cada ponto de iluminação pública existente no município, de forma associada ao mapa digital, permite que a informação seja comunicada de forma mais simples, prática e precisa, por meio de um código de numeração. 

 

Desde 2018, um serviço terceirizado que identifica e corrige os problemas relacionados a iluminação publica possibilita que lâmpadas, reatores e fotocélulas recebam manutenção ou substituição. Em média 250 atendimentos por mês são realizados. Cerca de 120 são solicitações de moradores e 130 advêm de rondas realizadas por equipes que prestam o serviço.

 

Atualmente o número de solicitações diárias que partem de moradores não passa de seis registros. Este número chegou a ser 92,5% maior antes da implantação do sistema. Segundo relatório entregue pela Companhia Paranaense de Energia Elétrica (COPEL) ao município, em 2017, havia até então, em Campina Grande do Sul,  6.876 pontos de iluminação pública, considerando áreas urbana e rural.

 

Por meio do mapa de georreferenciamento digital criado pela prefeitura, cada ponto de iluminação pública está sendo recadastrado, identificado e lançado em forma de dados no aplicativo recém-criado, como forma de dinamizar ainda mais a gestão do serviço. Nesta etapa, toda a área urbana do município já sofreu atualização cadastral, restando apenas a área rural.

 

Segundo o engenheiro elétrico João Luiz Simião, que é diretor de Serviços Públicos da Secretaria Municipal de Infraestrutura, Logística e Meio Ambiente da prefeitura, o principal objetivo com a implantação deste sistema, além de dinamizar o serviço de manutenção na rede de iluminação pública da cidade, é gerar economia aos cofres públicos. “Uma luminária acesa durante o dia gera gastos desnecessários para a conta de luz da prefeitura. Poder manter o serviço funcionando o mais próximo da perfeição possível evita desperdícios”, assegura Simião.

 

Ainda conforme João Luiz, a população deve usufruir do serviço gratuito por telefone para informar não apenas  lâmpadas queimadas, mas também lâmpadas que permanecem acesas durante o dia e lâmpadas com sinal de iluminação intermitente, ou seja, que acendem e apagam o tempo todo, além de lâmpadas quebradas.