Geral

Curitiba tem 535 novos ônibus, retomada das integrações e novas linhas

21 novos Onibus são apresentados na garagem em São José dos Pinhais e farão parte do sistema de transporte coletivo da capital. (Foto: Daniel Castellano / SMCS)

Renovação recorde da frota de ônibus, reforma de terminais e estações-tubo, redução do preço da passagem fora dos horários de pico, novas linhas de ônibus e ampliação da integração com a Região Metropolitana são algumas das ações que melhoraram a vida de passageiros e motoristas da cidade. 

A Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs) introduziu o transporte de Curitiba na era digital, com o uso de aplicativos de serviços – como de compra de créditos de cartão-transporte, táxi e de estacionamento regulamentado - e novas tecnologias - como validadores que permitem a compra de passagem por cartão de crédito e o uso da biometria para evitar fraudes.

No combate à pandemia de covid-19, as ações também foram concentradas. A Prefeitura implantou medidas de segurança sanitária, fez sanitização especial de ônibus, terminais e estações-tubo, além da Rodoviária, e criou a linha Especial Expresso Saúde, voltada para profissionais da área, que atuam na linha de frente contra a doença.

“Nos últimos quatro anos, o transporte em Curitiba passou por uma revolução, se modernizou e ampliou a conexão com o cidadão curitibano. A pandemia, por outro lado, forçou medidas de ajustes, com foco na segurança do usuário”, diz o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

Entrega recorde de novos ônibus

São 535 novos ônibus, equipados com inovações tecnológicas, que representaram uma renovação de 40% da frota da cidade entre 2017 e 2020

A Prefeitura de Curitiba superou em 18% a meta de renovação da frota de ônibus da cidade. Entre 2017 e 2020, foram incorporados 535 novos veículos ao sistema, 85 a mais do que o previsto no início da gestão. Com isso, 40% da frota operante foi renovada em quatro anos.

O sistema de transporte da capital conta atualmente com 254 linhas urbanas operadas por três consórcios de empresas privadas que disponibilizam uma frota de 1.231 ônibus.

As linhas realizaram, em média, 14,1 mil viagens por dia, percorrendo mais de 273 mil quilômetros. Em média, a Rede Integrada de Transporte transporta, em períodos normais, 1.228.694 passageiros por dia útil.

Tarifa reduzida

Em uma iniciativa inédita, Curitiba reduziu a tarifa de ônibus fora dos horários de pico. O valor de R$ 3,50 – R$ 1 mais barato que a tarifa normal – vale das 9h às 11h e das 14h às 16h para pagamento com cartão usuário.

A medida foi implantada em 11 linhas: 212- Solar, 213- São João, 214 - Tingui, 265- Ahú-Los Angeles, 461- Santa Bárbara, 965 -São Bernardo, 661 - V. Lindóia; 662 - Dom Ático; 666 - Novo Mundo; 860 - V. Sandra; e 870 - São Braz. Essas linhas transportam, em período normal, 49 mil pessoas por dia.

Novas linhas e Integração com RMC

A Prefeitura implantou, em 2018, uma nova linha de Ligeirão ligando o Santa Cândida à Praça do Japão. A segunda etapa, que vai fazer a ligação até o terminal do Pinheirinho, já está em andamento. O objetivo é ampliar a velocidade do transporte público em um dos principais eixos estruturais da cidade, por onde passam os ônibus biarticulados.

A Prefeitura também se prepara para implantar o novo projeto Linha Direta Inter 2, que tem investimentos de R$ 580 milhões, com financiamento do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e contrapartida de R$ 145,2 milhões do município.

O projeto Linha Direta Inter 2 trará melhoria da infraestrutura viária, com a ampliação da capacidade de carregamento do Ligeirinho Inter 2 e Interbairros II, dos atuais 155 mil transportados diariamente pelas duas linhas para 181 mil passageiros/dia.

Pedido antigo da população, a Prefeitura também colocou em operação a linha alimentadora 773 - Vizinhança/Santa Rita passou a funcionar, ligando Santa Rita, Carbomafra, Vitória Régia e Vila Verde ao Terminal CIC. A nova linha faz a ligação com regiões bastante populosas, tornando o trajeto mais prático e rápido.

Integração

A retomada da integração do sistema de transporte coletivo urbano de Curitiba com as linhas da Região Metropolitana foi um dos grandes marcos das ações desenvolvidas pela Urbs. Essa atuação foi fundamental para garantir a conexão dos usuários dos municípios vizinhos com as diferentes regiões da capital paranaense.

A primeira ação foi o retorno da linha Colombo/CIC, reconectando o município de Colombo com a cidade de Curitiba de norte a sul, passando pela região central. A retomada dessa rota beneficiou mais de 30 mil passageiros.

A conexão entre os dois municípios foi intensificada com a implantação da nova linha Terminal Roça Grande/Terminal Santa Cândida, beneficiando mais 3 mil usuários.

As linhas de Araucária retornaram suas integrações com a Rede Integrada de Transporte (RIT), por meio das linhas Araucária/C.Raso e Angélica/C.Raso que voltaram a passar por dentro do Terminal CIC.

A linha direta Ctba/Fazenda Rio Grande voltou a parar na Estação PUC, reintegrando os moradores daquele município às linhas urbanas de Curitiba.

A operação da linha direta Caiuá/Cachoeira - reintegração do transporte coletivo entre Curitiba e Almirante Tamandaré- representou ganho de tempo de aproximadamente 20 minutos entre um terminal e outro.

A integração com a Região Metropolitana foi ampliada com a implantação da linha alimentadora 672 - Tupy/Juliana, ligando o Jardim Tupy e a Vila Juliana, na cidade de Araucária, ao Terminal Pinheirinho, na região sul de Curitiba.

Também houve a liberação de Plataforma no Terminal Centenário, permitindo a circulação de uma nova linha de ônibus, a C36 - Pinhais/Centenário, que liga Curitiba ao município vizinho.

Quem utiliza o Terminal Boqueirão ganhou três novas linhas de ônibus: E07 São José dos Pinhais-Boqueirão, E11 Terminal Afonso Pena-Terminal Boqueirão e E21 Centro de São José dos Pinhais-Terminal Boqueirão, com a reintegração do transporte entre Curitiba e São José dos Pinhais.

Investimentos em reformas de terminais e novas estações-tubo

Os 21 terminais da capital receberam reformas nas coberturas, nas plataformas, melhoria na rede elétrica e de esgoto, além de pintura. Também foram revitalizados gradis e realizadas a manutenção e pintura de canaletas

Estações-tubo tiveram troca de piso e iluminação; além disso, entraram em operação novas estações, como a PUC-Linha Verde, com investimento de R$ 3 milhões.

Cerca de 25 mil pessoas por dia são beneficiadas pela nova estação PUC-Linha Verde, localizada no encontro com a Rua Imaculada Conceição e com a Avenida Senador Salgado Filho. Considerado um miniterminal, a estação, fruto de R$ 3 milhões em investimentos e inaugurada em 2020, recebe cinco linhas: Interbairros V, Guabirotuba, Vila São Paulo, Uberaba e Canal Belém. Futuramente vai passar a atender também a linha passará o Ligeirão Norte-Sul.

Também foram inauguradas as estações-tubo Templo Maior e Vale do Pinhão, no Rebouças.

Reformas

As estações-tubo da rede de transporte de Curitiba também receberam várias benfeitorias, como substituição da iluminação fluorescente por LED, reforma ou troca do piso e ampliação do vão da porta de isenção (espaço para passagem de cadeirantes).

Também foi realizada a reforma total da estação-tubo Terminal Capão Raso sentido Guadalupe (retirada, reforma e recolocação).

Compra de créditos se modernizou

As mudanças, como uso de aplicativos, facilitam a vida de cerca de 2 milhões de pessoas que usam cartão-transporte.

O passageiro passou a contar com a possibilidade de compra de créditos para o cartão-transporte por meio aplicativos (Qiwi, Recarga Pay e Mercado Pago), nos terminais de ônibus (Pinheirinho, Santa Cândida, Barreirinha, Cabral, Bairro Alto, Santa Felicidade, Campo Comprido, CIC, Capão da Imbuia e Carmo), além da internet e das bancas de jornal. Algumas lojas de supermercados também passaram a fazer a recarga.

Outra novidade foi a criação do Urbs Móvel, micro-ônibus que vai até os bairros da cidade e oferece serviços gratuitos, como a confecção do cartão transporte.

Novos validadores e outras tecnologias

A implantação de novos validadores possibilitará o pagamento da passagem com celular, cartões de débito e crédito, além da biometria facial para os usuários isentos.

Foram instalados 2.093 equipamentos novos em estações-tubo e terminais da cidade. O passageiro pode pagar a passagem com cartões de débito e crédito, celular e relógios inteligentes. Não há a necessidade de digitar a senha, pois o pagamento funciona por aproximação para os cartões dos bancos que possuem tecnologia contacteless.

A biometria, por sua vez, pode ser usada para os passageiros isentos, permitindo a conferência dos dados e contribuindo para evitar fraudes.

Os novos validadores também vão permitir avanços na integração entre linhas. Será possível efetuar a troca de linhas de ônibus com o pagamento de apenas uma tarifa, sem a necessidade de estar em um terminal de integração.

EstaR digital

O EstaR Eletrônico, que automatizou a utilização de vagas regulamentadas na cidade, entrou em vigor em março de 2020 para as 12 mil vagas de estacionamento de Curitiba. O novo modelo, que substituiu o papel, trouxe comodidade para o usuário, que passou a fazer todo o processo com poucos toques no celular.

O EstaR eletrônico conta com sete aplicativos ativos: Meu EstaR, Faz Digital Curitiba, El Parking, Zul EstaR Digital, EstaR Digital Zazul, Transitabile e Estacionamento Digital. Eles podem ser baixados nas plataformas Android e iOS. O usuário pode escolher e fazer o download de um ou mais aplicativos, de acordo com sua preferência.

Além disso, são 160 pontos comerciais e de serviços que estão habilitados também a vender créditos para quem não tem o celular disponível. São restaurantes, papelarias, farmácias, padarias e cafeterias, dentre outros

A fração de 15 minutos de estacionamento custa R$ 0,75 e a hora cheia R$ 3. Caso tenha que mudar o carro de área, uma nova compra terá que ser feita. O aplicativo emite um aviso ao usuário quando o prazo estiver próximo de vencer.

Táxis mais competitivos

Os 3,8 mil taxistas cadastrados na cidade foram beneficiados com uma série de projetos. O maior deles foi a criação do Urbs Táxi Curitiba, aplicativo de transporte de táxi que trouxe mais competitividade para a categoria frente aos aplicativos de transporte e passageiros particulares.

A Urbs também possibilitou que os taxistas operem na modalidade coletivo e lotação. O prazo para parcelamento da taxa de outorga foi ampliado de quatro para dez vezes e os táxis elétricos têm isenção do pagamento da licença.

A Urbs também iniciou, em 2019, o cadastramento dos motoristas de aplicativos particulares, iniciativa que promoveu mais segurança aos usuários do serviço. 

Eletromobilidade

Incentivo à eletromobilidade também foi um dos projetos da Prefeitura, que isentou o pagamento do Estacionamento Regulamentado (EstaR) para carros 100% elétricos nas vias públicas da capital. O objetivo é incentivar a eletromobilidade e o uso de veículos não poluentes na cidade.

A medida vale para veículos elétricos particulares e também para carros de compartilhamento elétrico (sharing) – aluguel de curta duração e para curta distância desses veículos - na cidade.

O dono de veículo elétrico poderá ficar sem pagar o EstaR por até duas horas. No caso do car sharing, não haverá limite de horas para a isenção.

Cidade ganhou seu terceiro mercado municipal

A população dos bairros da região Sul da cidade passou a contar, em 2020, com o Mercado Municipal Capão Raso, localizado no antigo Shopping Popular, que foi todo requalificado. O mercado municipal é o terceiro da cidade – os outros são o do Centro e do Cajuru.

O investimento em obras no Mercado Municipal Capão Raso foi de R$ 1 milhão. Administrado pela Urbs, conta com área de 12 mil metros quadrados e 100 lojas.

O Mercado Municipal permite ainda a possibilidade de integração com terminal Capão Raso.

Rodoviária

A Rodoferroviária passou por melhorias nos últimos quatro anos, com pintura de toda a estrutura, troca de grades, aquisição de 100 novos carrinhos de bagagem, catraca com QR Code e reformulação do estacionamento.

Em agosto de 2019 houve a troca da plataforma elevatória (elevadores de acessibilidade) para pessoas com dificuldade de deslocamento. Foram implantados novos contratos de publicidade, como os relógios digitais da área de embarque e desembarque e novos quiosques de alimentação.

Em outubro de 2019 os estacionamentos da Rodoviária e da Praça Rui Barbosa retornaram para a exploração direta por parte da URBS.

Curitiba, sua linda

Criada em 2018, a rede #CuritibaSuaLinda – de lojas que comercializam lembranças com temas da capital – ganhou sua quinta unidade em 2020, localizada no Jardim Botânico. As lojas da rede, administrada pela Urbs, estão localizadas no Palacete Wolf, Mercado Municipal, Torre Panorâmica e Espaço Cultural David Carneiro.

Medidas de combate à covid-19

Desde o início da pandemia, o município implantou várias mudanças no transporte da capital para evitar a propagação da covid-19 entre os usuários e operadores do sistema.

“Colocamos em prática muitas medidas, que trouxeram mais segurança para o passageiro em usar o transporte coletivo durante a pandemia, garantimos empregos de motoristas e cobradores e a continuidade da operação do sistema, mesmo com a queda das receitas. Além disso, fizemos operações especiais de sanitização, em terminais, pontos e estações-tubo e criamos uma linha exclusiva para profissionais de saúde”, lembra o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

Principais medidas:

- Ônibus só podem circular com ocupação limitada. O limite, que chegou a 50%, hoje está em 70%.

- Frota opera com 80% da capacidade e várias linhas com 100%, mesmo com o número de passageiros reduzido por conta da pandemia. O movimento atual é de 360 mil passageiros por dia, queda de 52% em relação ao período pré-pandemia (754 mil passageiros/dia).

- Implantação do regime emergencial de operação e custeio do transporte coletivo, que visa manter a sustentabilidade do sistema e os empregos no setor.

- Marcação de filas com distanciamento de 1,5 metro entre os passageiros nos terminais.

- Distribuição de folders e colocação de cartazes nos terminais com dicas de prevenção.

- Colocação de termômetros de parede nos terminais, para que a população possa conferir a temperatura antes de entrar nos ônibus.

- Displays de álcool gel colocados em terminais e estações-tubo.

- Cartazes colocados em ônibus e terminais recomendando que idosos evitem usar o transporte coletivo e que optem pelos horários fora do período de pico, como no início da manhã e da noite.

- Fiscais da Urbs, Guarda Municipal e do Exército fizeram orientação sobre filas e lotação dos ônibus.

- Linhas expressas passaram a circular com máscaras plotadas na frente dos veículos para alertar para a necessidade de proteção. Ônibus também têm painéis com a mensagem “Use Máscara”.

- Criação da Linha Exclusivo Saúde, que atende apenas pessoas que trabalham em hospitais e clínicas.

- Mapeamento inédito do perfil do usuário do transporte coletivo de acordo com sua área de atividade. Levantamento possibilitou verificar funcionários quais setores – serviços e comércio – usam mais os ônibus nos horários de pico.

- Assepsias especiais em todos terminais da cidade – incluindo o metropolitano Guadalupe – e mais Rodoferroviária, além de todas as estações-tubo.

- Sanitização dos 2,6 mil pontos de ônibus metálicos da cidade.

- Assepsia especial da frota operante, de cerca de mil veículos, com quaternário de amônio.

- Colocação de displays com álcool gel e marcação de filas e bancos na Rodoviária. Implantação de cuidados especiais no Mercado Municipal Capão Raso.

- Prorrogação dos créditos de transporte durante a pandemia e da necessidade de prova de vida de idosos e renovação do cartão de portadores de deficiência.

- Redução de taxas para taxistas e comerciantes do Mercado Municipal Capão Raso. Redução de 50% do aluguel de todos os permissionários entre maio e julho e isenção das taxas das lojas durante o período em que não houve funcionamento.

- Suspensão do pagamento em 2020 da outorga anual paga pelos taxistas (no valor de R$ 1.350), isenção da cobrança de taxas (como a de vistoria do segundo ano, de R$ 162 e emissão de licença de condutor, de R$ 40,50) e abertura de uma janela de 90 dias para transferência de titularidade dos táxis (com desconto de 90% no valor total deste serviço). A taxa de transferência é de R$ 9.990.