Geral

Do Passaúna ao São Nicolau, conheça as principais áreas verdes de lazer da CIC

Na imagem Parque dos Tropeiros (Foto: Daniel Castellano / SMCS)

Silenciosos ou animados, relaxantes ou para atividades físicas, bucólicos ou para encontrar amigos e vizinhos. Na Regional CIC, há parques e bosques para todos os gostos e preferências. São mais de sete milhões de metros quadrados de áreas verdes, espalhados pelos bairros da região e repletos de trilhas, lagos, quadras esportivas, mirantes, pontes e uma rica vegetação.

Seja o Passaúna, o Diadema, o Tropeiros, o São Nicolau, o Caiuá ou o do Trabalhador é impossível não cruzar a região sem encontrar um deles. “Esses espaços públicos são um convite para caminhar, correr, fazer piquenique, se esquentar ao sol ou simplesmente contemplar a vida sentado em um banco ou no gramado”, convida Raphael Keiji, administrador da Regional CIC, que abrange os bairros Augusta, CIC, Riviera e São Miguel.

Morador da Rua Durval Leopoldo Landal, na CIC, o aposentado José Antônio Simeão, 65 anos, frequenta diariamente o Bosque Diadema. “É onde levo meu cão Tico para passear e também caminho”, conta ele. Simeão também gosta de ir ao Parque dos Tropeiros nos fins de semana.  

Os seis principais parques da Regional CIC

Bosque São Nicolau

O grande charme deste bosque é o relevo acidentado, uma pequena colina com direito a um mirante que deixa o visitante quase na altura das copas das araucárias. A árvore símbolo do Paraná chama a atenção no local. Em sua inauguração, no ano 2000, a vegetação nativa foi acrescida de centenas de exemplares de araucária, que ajudam a garantir a preservação da nascente que forma o pequeno lago em seu refúgio. Com uma área de 20.520 metros quadrados, entre as moradias Sabará, Sevilha e Diadema, o espaço público conta com parquinho, cancha de futebol de areia e pista de caminhada de 1.100 metros de extensão. O Bosque São Nicolau não fecha e fica na Rua Professor José Rodrigues Vieira Netto, s/n, na CIC.

Bosque do Trabalhador

Constituído por duas áreas separadas pela Rua Manoel Valdomiro de Macedo, o Bosque do Trabalhador tem como destaque o portal que lembra uma embarcação, toda em concreto e com sete metros de altura e 47 metros de comprimento. O espaço de 192.016 metros quadrados oferece playground, churrasqueiras, canchas de vôlei e futebol de areia, além de pista de caminhada para pedestres com iluminação noturna. Quem percorre as inúmeras trilhas do local pode se deparar com gambás e aves como sabiá branco, bem-te-vi, quero-quero. A entrada principal do Bosque do Trabalhador é a Rua Manoel Valdomiro de Macedo, na CIC. O local não fecha.

Bosque Diadema

No coração do Conjunto Habitacional Diadema, na CIC, o bosque protege o fundo de vale de um córrego e é cortado pela Rua Durval Leopoldo Landal. As três quadras de futebol de areia são os equipamentos mais disputados pelos moradores, mas há outras atrações como uma academia ao ar livre e um playground. Com uma área de 112 mil metros quadrados, o Bosque Diadema também é visitado por pequenos pássaros. O local não fecha e pode ser acessado pela Estrada Velha do Barigui, pela Rua Vale dos Pássaros e pela Rua Antônio Dionísio Sobrinho.

Parque Caiuá

Situado junto ao conjunto habitacional de mesmo nome, na CIC, o parque ocupa o fundo de vale de um córrego. O espaço, de 46 mil metros quadrados reúne canchas de futebol de areia, campo de futebol de grama, canchas de vôlei de areia, parquinho infantil, academia ao ar livre, pista de skate.

No local é possível apreciar vária espécies de árvores, como carvalho-brasileiro, araucária, aroeira e jerivá (famosa por seus coquinhos). O Parque Caiuá tem acesso pelas ruas Rosa Rigoni Landal, Durval Leopoldo Landal, Pedro Driessen Filho e Marco Antônio Malucelli. O local não fecha.

Parque dos Tropeiros

Criado em homenagem aos gaúchos que passavam pelo Paraná, guiando gado e abrindo caminhos pelas cidades do estado, o Parque dos Tropeiros ocupa uma área de 173.474 metros quadrados na CIC e reúne atrações como pistas de caminhada e um imenso anfiteatro onde ocorrem apresentações folclóricas.

Quem visita o local se impressiona também com uma antiga pista de rodeios que agora pode receber atividades culturais e, no alto de uma colina, um salão redondo, transformado em área de convívio. O parque ainda conta com estacionamento e fica aberto ao público todos os dias, das 8h às 18h.

O acesso ao espaço é pela Rua Raul Pompeia, próximo à Avenida Juscelino Kubitscheck. Também é possível pegar alguns ônibus: Ligeirinho Fazendinha (Terminal Guadalupe), convencional Fazendinha (Praça Rui Barbosa), alimentador Vila Marisa (Terminal Fazendinha) e alimentador Caiuá (Terminal Fazendinha).

Parque Passaúna

Faz tempo que o gigantesco parque com 6,5 milhões de metros quadrados, no bairro Augusta, fica lotado, pois o que não faltam são atrações para toda a família. Não deixe de conhecer o mirante de 12 metros de altura, no alto de um morro à beira da represa.

Aproveite ainda para explorar a trilha ecológica, com 3,5 km de extensão, junto ao lago e em meio ao belo bosque, com pontes de madeira, recantos com churrasqueiras, ancoradouros para pescarias e acesso às antigas olarias. Se prepare, inclusive, para encontrar ilustres moradores do local, como lontras, capivaras e tatus.

O acesso ao espaço verde é pela Rua Eduardo Sprada, na divisa com Campo Largo. O parque fica aberto diariamente das 8h às 20h. É possível ir de carro (há estacionamento) ou com os ônibus expresso Campo Comprido (Praça Rui Barbosa) e alimentador da Vila Marqueto (Terminal Campo Comprido).