Paraná

Estado adota resolução internacional sobre famílias

O Governo do Estado incorpora a partir desta sexta-feira (29) os dez compromissos sobre família, direitos humanos e cidades inclusivas da Declaração de Veneza, documento apresentado pela International Federation for Family (IFFD – Federação Internacional da Família) na Organização das Nações Unidas (ONU), em 2017. (Foto: José Fernando Ogura/AEN)

O Governo do Estado incorpora a partir desta sexta-feira (29) os dez compromissos sobre família, direitos humanos e cidades inclusivas da Declaração de Veneza, documento apresentado pela International Federation for Family (IFFD – Federação Internacional da Família) na Organização das Nações Unidas (ONU), em 2017. A adesão foi assinada pelos secretários Valdemar Bernardo Jorge, do Planejamento e Projetos Estruturantes, e Ney Leprevost, de Justiça, Família e Trabalho, durante a Conferência Internacional – Família e Inovação Social, no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba.

Com isso, o Paraná se tornou o primeiro Estado do País a incorporar as premissas da Declaração de Veneza como norte para as suas políticas públicas. Mais de 70 regiões ao redor do mundo já assinaram esse compromisso, que visa acelerar a implementação da Agenda 2030 e dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, principalmente a resolução número 11, que propõe “tornar as cidades e assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

Valdemar Bernardo Jorge destaca que os pontos da Declaração de Veneza se inserem dentro da política de atenção aos cidadãos que mais precisam de apoio. Ele também disse que o papel do Estado é de diminuir as desigualdades e os desequilíbrios de acesso, além de promover condições para as famílias gerarem renda e cuidados intergeracionais.

“A família é um fator estruturante para as políticas públicas desenvolvidas pelo Estado e pelos municípios. Valorizar a família significa desenvolvimento social e econômico”, explicou Bernardo Jorge. “Os dez pontos da Declaração de Veneza versam sobre temas que já são sensíveis ao Paraná, mas podemos ampliar essa cobertura. Família forte gera uma sociedade forte, logo, um Estado mais forte”.

DECLARAÇÃO DE VENEZA

Os dez grandes temas da Declaração de Veneza são Habitação, Novas Tecnologias, Educação, Saúde, Segurança, Meio Ambiente, Transporte, Acessibilidade, Lazer e Turismo, e Famílias em Situação de Vulnerabilidade, mas o documento propõe transversalidade entre essas áreas. O texto estimula, por exemplo, serviços urbanos mais ágeis, aumento da conectividade e fim das lacunas digitais intergeracionais, acolhimento educacional perto da moradia, redução progressiva da poluição, apoio à economia circular e programas para famílias migrantes.

O espanhol Ignácio Socías, presidente do IFFD, órgão consultivo da ONU para políticas sobre a família, disse que a adesão do Paraná à Declaração de Veneza renova o entendimento de que as gestões públicas com foco no bem-estar devem ser implementadas, primeiro, nos níveis local e regional. “Esse documento se preocupa com o indivíduo e a família, não somente com as grandes conjunturas políticas. Moradias adequadas, transporte público de qualidade e uso correto e inclusivo das novas tecnologias são exemplos de condições mínimas para viver de forma mais humana”, afirmou.

“Distintos estudos mostram que as políticas públicas de família ajudam o desenvolvimento social, porque esse olhar sobre as famílias é um olhar sobre as mulheres, as crianças, os idosos, os incapacitados e as minorias”, complementou Socías.

Ângela Vidal Gandra Martins, secretária nacional da Família do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, acrescentou que o berço dos valores sociais e do bem-estar coletivo está dentro de casa, e que esse modelo precisa ser replicado na sociedade. “O Paraná tem sido um protagonista na luta pela família, que é o berço da cidadania, das competências individuais. Todas as declarações internacionais criam história e unem forças. Queremos fortalecer a união global em torno dessa agenda”, destacou.

OLHAR SOCIAL

O compromisso internacional assumido nesta sexta-feira impõe ao Estado ampliar e consolidar os programas implementados desde o início do ano. O secretário de Justiça, Família e Trabalho, Ney Leprevost, disse que o Paraná olha para as famílias com intuito de diminuir os problemas sociais e melhorar o ambiente de desenvolvimento econômico, com base na gestão de ambientes de educação seguros e do pleno emprego.

“Família é assunto da maior importância. Enfrentar o problema da pobreza e erradicar a fome são prioridades para o governador Carlos Massa Ratinho Junior melhorar a vida de todas as famílias", destacou Ney Leprevost. "Temos produção industrial equivalente à da China, mas ainda convivemos com problemas sociais. Para inverter esse quadro e construir bases sólidas estamos investindo muito na geração de empregos, atraindo novas empresas e qualificando a mão de obra, além do olhar emergencial sobre aqueles que mais precisam”.

O secretário citou como exemplos programas para a construção de equilíbrio social, como a transferência de renda para agricultores; o Caixa D’Água Boa, para famílias em condição de vulnerabilidade social; o Leite das Crianças; a força-tarefa Infância Segura e o choque de atenção Criança Feliz, em parceria com o governo federal; e atenções a idosos (Viver Mais Paraná) e promoção de moradia digna para famílias que hoje vivem em áreas de riscos e moradias precárias (Vida Nova) com a Cohapar.

CONFERÊNCIA

A Conferência Internacional – Família e Inovação Social foi organizada pela Secretaria do Planejamento e Projetos Estruturantes em parceria com a IFFD, instituição não governamental, independente e sem fins lucrativos. Em três dias foram discutidas políticas voltadas à família, com ênfase no combate à pobreza, promoção de igualdade e geração de emprego. Participaram do encontro conferencistas da Itália, França, Grécia, Áustria, Sérvia, Colômbia, Estados Unidos e Qatar, além de representantes nacionais.

PRESENÇAS

Estiveram presentes na cerimônia da assinatura o vice-prefeito de Curitiba, Eduardo Pimentel; o coordenador estadual da Defesa Civil, Coronel Ricardo Silva; o deputado estadual Gilson de Souza; e o presidente do Conselho Regional do Vêneto – Parlamento com sede em Veneza (Itália) -, Roberto Ciambetti.