Política

Gilmar Mendes rasga a Constituição e dá carta branca para Greenwald cometer crimes no Brasil

Ação foi patrocinada com dinheiro público pela Rede Sustentabilidade, partido de Marina Silva

O Ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes rasgou a Constituição  brasileira  e manchou de corrupção a Suprema Corte Brasileira nesta quarta-feira (7).  O Ministro deu carta branca para Glenn Greenwald, jornalista do Intercept Brasil e empresário do ramo da pornografia para que ele continue a praticar o maior crime virtual da história do Brasil, em que um grupo criminoso de hackers invadiu os celulares do Ministro da Justiça, Sérgio Moro e dos procuradores da Operação Lava Jato e repassaram as informações para Greenwald, tendo Manuela D’ávila, candidata da vice-presidente da República na chapa de Fernando Haddad (PT), como intermediadora. Este ato representa a legalização da imoralidade no país chancelada por aqueles que deveriam defender o país.

Na decisão absurda, Mendes envergonha a classe jurídica brasileira. Em seu despacho ele determina “que as autoridades públicas e seus órgãos de apuração administrativa ou criminal abstenham-se de praticar atos que visem à responsabilização do jornalista Glenn Greenwald pela recepção, obtenção ou transmissão de informações publicadas em veículos de mídia, ante a proteção do sigilo constitucional da fonte jornalística”.

A ação foi patrocinada com dinheiro público do fundo partidário da Rede Sustentabilidade, partido presidido por Marina Silva. Veja a íntegra da decisão.