Geral

Memorial Paranista vai homenagear artista João Turin

Prefeito Rafael Greca assina a ordem de serviço para início da segunda etapa das obras de implantação do Memorial Paranista e da revitalização do Parque São Lourenço. (Foto: Valdecir Galor/SMCS)

A Prefeitura vai iniciar a segunda etapa das obras de implantação do Memorial Paranista e a revitalização do Parque São Lourenço, no bairro São Lourenço. A autorização e o anúncio das obras foram feitos, nesta última quarta-feira (22), pelo prefeito Rafael Greca.

O espaço, que vai homenagear o Movimento Paranista (braço do Movimento Modernista Brasileiro) e um dos seus principais ícones, o artista paranaense João Turin, será composto pelo Memorial (uma área coberta) e pelo Jardim das Esculturas, ao ar livre.

“É nossa ideia que o Memorial fique como um legado aos que vão nascer e também como tributo aos nossos caboclos, aos nossos índios, às nossas onças, aos nossos pinheiros, para que a cidade nunca se esqueça de si mesma”, disse Greca, lembrando a importância que o artista teve para a terra e a gente do Paraná.

Com esse projeto, destacou o prefeito, Curitiba terá uma instalação de convívio e cultura presente em cidades como Oslo (Noruega), Nova Iorque (EUA), Copenhague (Dinamarca) e Florença (Itália). Além da valorização a arte e cultura locais, a capital ganha um novo e relevante atrativo turístico.

Mudanças

Os serviços contemplam novas edificações, como a construção da galeria de aço e vidro que vai dar acesso ao Memorial. O projeto também prevê melhorias na área do parque, que já começaram a ser feitas.

Além da reforma dos equipamentos culturais existentes, haverá macrodrenagem para contenção de enchentes, novo playground, equipamentos de lazer, canteiros, calçadas e ciclofaixas de circulação externa, e nova iluminação.

De acordo com a secretária do Meio Ambiente, Marilza Oliveira Dias, as obras não vão afetar a maior parte do uso do parque. “Já estamos transferindo o playground para mais longe do canteiro de obras e apenas a área das edificações fica isolada”, explicou.

Espaços culturais

Durante a execução das obras, algumas atividades desenvolvidas nos espaços culturais do parque terão de ser relocadas para outras unidades da Fundação Cultural de Curitiba. Elas voltarão ao espaço assim que forem concluídas as intervenções.

O Centro de Criatividade de Curitiba, o Teatro Cleon Jacques e a Casa da Leitura Augusto Stresser ficarão temporariamente fechados, porque também passam por reforma e melhorias. Um café deve incrementar a estrutura.

Parque paranaense

A homenagem reforça uma característica importante de Curitiba, que é valorizar parques, praças e memoriais como espaços públicos para a população e visitação dos turistas e também de disseminação da cultura de povos e personagens que fazem parte da história da cidade.

“Curitiba que já tem o Memorial Polonês, Árabe, Italiano e Japonês e a Fonte de Jerusalém, agora vai ter o Parque do Paraná, com João Turin”, enumerou o prefeito.

O Memorial será uma área permanente de exposições de um acervo de esculturas, relevos, histórias e esboços de João Turin, paranaense de Morretes, que viveu de 1878 a 1948, deixando imenso legado cultural.

“Turin fez tecidos, moda, escultura, pintura, gravura e fez com grandiosidade”, exaltou Greca.

Detalhes do Memorial

O projeto começou a ser elaborado em dezembro de 2017, com a assinatura do Decreto Municipal 2218/2017, que dispôs sobre a destinação do espaço para o Memorial.

A parte interna do Memorial Paranista será acessada a partir de uma grande galeria, de aço e vidro, integrada ao conjunto revitalizado de edificações já existente.

A organização dos espaços e a distribuição das funções na área interna do Memorial vão orientar os visitantes sobre a arte da fundição, proporção, modelagem e técnica de esculturas.

Lá ficarão expostas 78 esculturas originais de Turin, por meio de um protocolo de intenções firmado com o Governo do Estado, que cedeu as peças em regime de comodato.

O Jardim das Esculturas, na parte externa, é composto de um jardim com elementos paranistas e obras de proporções heróicas (com medidas equivalentes a duas vezes e meia a de um homem), fontes de água e paisagismo.

Serão expostas 15 esculturas reproduções do acervo de João Turin: Índio Guairacá II, Homem Pinheiro, Marumbi, Pedagogia, Índio Guairacá I, Caridade, Onça Brincando com Filhote, Onças Brincando, Onça Espreita II, Fundação de Curitiba, Onça Espreita I e Onça Descansando.

Todas as peças serão feitas de bronze; a maior delas será a 'Marumbi', com 3 metros de altura, quase 3 metros de largura, 1 metro de profundidade e aproximadamente 700 kg. A menor, 'Onça Espreita I', terá 66 centímetros de altura, 1,6 metro de largura, 47 centímetros de profundidade e pesará 300 kg.

Presenças

Acompanharam a assinatura o vice-prefeito Eduardo Pimentel; a presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Ana Cristina de Castro; a secretária da Comunicação Social, Mônica Santanna; a procuradora-geral do Município, Vanessa Volpi; a chefe de Gabinete, Cibele Fernandes Dias; e a administradora da Regional Boa Vista, Janaína Gher.

Compareceram, ainda, os autores do projeto, os arquitetos Guilherme Klock e Fernando Canalli, da Prefeitura de Curitiba; o superintendente de Obras e Serviços da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Reinaldo Pilotto; o diretor-administrativo da Fundação Cultural, Cristiano Augusto de Figueiredo Morrissy; e equipes da Secretaria do Meio Ambiente e da Fundação Cultural.

Os vereadores Bruno Pessuti e Colpani também participaram da solenidade.