O Beijo do Diabo VII – A mesada de Amaury e os 15 sacos de uréia

O filho do governador acabara de se casar. A festa foi no ano de 2013, mas é uma das mais comentadas até hoje. Saiu até na Revista Caras. Com dificuldades de recolocar o sogro no mercado, o pai do noivo, o então governador Beto Richa, pediu a um grande empresário da faixa portuária uma mesada para o sogro do filho, Amaury Santos, nada muito substancial, 15 sacos de ureia por mês. O empresário, amigo de pedalada de Beto não poderia negar o pedido.

O problema é que o sogro em quatro anos, pisou apenas quatro vezes em Paranaguá. Ele só vinha pegar o décimo terceiro, gordo, pago era o NPK do final do ano. A empresa centenária, estava na iminência de ser chantageada pelo dedo duro mais famoso de Paranaguá, que recentemente foi ao Ministério Público para forçar o afastamento de um Diretor do Porto, que embora seja amigo do atual governador, fora indicado pelo empresário que se sentiu preterido na formação da nova estrutura da APPA.

A informação está sendo alardeada por Gebran, o dedo duro mais famoso de Paranaguá que depois de caguetar um ex-diretor do Porto, agora quer fazer isso nas empresas privadas. Insatisfeito com o fim da Coalização, ele quer dar o troco e a vítima escolhida é a empresa centenária.