Geral

Mesmo com pandemia, feiras e Mercado Municipal têm aumento de venda de orgânicos

Feira de orgânicos na pracinha do expedicionário e mercado municipal. Na imagem, Maria Salete Escher. (Foto: Luiz Costa/ SMCS)

A funcionária de serviços gerais Maria da Penha dos Santos Gomez, 56 anos, faz compra de frutas e verduras, toda quarta-feira, na Feira de Orgânicos da Praça do Expedicionário, no Alto da XV. Até o início do ano passado,  a aquisição dos alimentos sem agrotóxico era esporádica, mas com a chegada da pandemia ela passou a cozinhar mais em casa e aumentou a compra de alface, tomate, banana, morango e até pão na feira de orgânicos da Prefeitura. "Passei a vir e comprar mais, pois tudo é fresquinho e saudável", conta ela. 

Assim como Maria da Penha, mais curitibanos estão consumindo alimentos sem agrotóxicos, mesmo com a pandemia, segundo avaliação dos comerciantes das feiras orgânicas e do Setor de Orgânicos do Mercado Municipal. “O consumo já vinha crescente, mas a pandemia trouxe uma percepção de saúde diferenciada, de que o orgânico tende a melhorar a saúde das pessoas", salienta Maria Salete Escher, que vende nas feiras de orgânicos da Prefeitura frutas, verduras, pães e leite produzidos por sua família em Campo Magro. 

Levantamento da  Associação de Promoção dos Orgânicos (Organis) aponta que, apesar de toda a crise econômica causada pela covid-19, o setor de produtos orgânicos registrou em todo o país uma alta de 30% nas vendas em 2020.

Durante a pandemia, a tecnologia foi aliada de quem produz e vende alimentos orgânicos para manter as vendas em alta, mesmo quando alguns locais ficaram fechados para reduzir o contágio da doença. "Criamos grupos de WhatsApp e passamos a comercializar nossos produtos quando o Mercado Municipal estava fechado. Hoje, no mínimo, 50% das nossas vendas continuam sendo on-line", afirma Yuri Sabbadini, da banca de hortaliças e alimentos minimamente processado do Setor de Orgânico do Mercado Municipal. 

Os preços dos orgânicos têm baixado consideravelmente, nos últimos anos, mas os custos sempre serão mais elevados que os da agricultura convencional. “A escolha do nosso freguês não se baseia tanto no preço, mas, sim, em comprar alimentos ainda mais saudáveis, livres de fertilizantes, hormônios e agrotóxicos”, pondera Maria Salete, que comercializa seus produtos nas feiras orgânicas do Expedicionário, Ahú, Jardim Botânico e Passeio Público.  

Pioneirismo 

Curitiba conta com 14 feiras orgânicas da Prefeitura, além do Setor de Orgânicos do Mercado Municipal. Nos espaços, são comercializados além de frutas e verduras, carnes, grãos, sucos, leites, chocolates, cosméticos e até roupas sem produtos químicos.  São 12 feiras orgânicas diurnas, que ocorrem das 7h às 12h; e duas feiras orgânicas noturnas, que ocorrem das 16h às 20h. 

Já o Setor de Orgânicos do Mercado Municipal completou 12 anos este mês (12 de fevereiro), sendo pioneiro no país na oferta de alimentos e outros produtos orgânicos em um mercado municipal. Atualmente, são cerca de 14 comerciantes de produtos sem agrotóxico ou algum tipo de hormônio (no caso das carnes, por exemplo).

A garantia da procedência e de que os alimentos são realmente orgânicos é um dos grandes diferenciais das feiras e do setor no Mercado Municipal. “Todos os produtos comercializados, como hortifrutigranjeiros, ovos, carnes e até cosméticos, passam por um constante monitoramento das equipes da Prefeitura”, explica Eliseu Alves Maciel, diretor do Departamento de Operação Agroalimentar da Secretaria Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, responsável pelos pontos.

Outro diferencial das feiras orgânicas e do setor no Mercado Municipal é que a maioria dos comerciantes também é produtor da Região Metropolitana de Curitiba, o que garante alimentos sem agrotóxicos fresquinhos para a população. Em sua chácara em Tijucas do Sul, Emerson Schnorr cultiva cenouras, alfaces, brócolis, espinafres, cebolas, nabos, rabanetes, jilós, inhames, rúculas e couves-flores. "Tudo é vendido nas feiras orgânicas do Seminário, Expedicionário e Passeio Público", conta ele.