Edital da Pirâmide Solar do Caximba vai prever participação de consórcios

Entre os diferenciais do novo edital para implantação da futura Pirâmide Solar do Caximba, a ser lançado na primeira quinzena de outubro, estão a possibilidade da participação de consórcios. De acordo com as informações técnicas divulgadas em reunião pública via videoconferência, nesta quinta-feira (30/9), até três empresas poderão formar o grupo para a concorrência.

Para a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza do Carmo Oliveira Dias, as mudanças trazidas pelo edital facilitam a participação das empresas e vão garantir um processo ainda mais competitivo.

“Temos a certeza de que será um grande avanço para a cidade de Curitiba”, disse. “Além de transformar um passivo ambiental em uma usina de geração de energia limpa, é uma das grandes apostas da cidade de Curitiba no enfrentamento das mudanças climáticas”, completou.

A reunião técnica, que teve cerca de 60 participantes, detalhou o histórico da concepção da pirâmide, projeto selecionado pela rede de cidades C40 e contemplado com recursos do Cities Finance Facility (CFF) do C40; o projeto técnico básico; e, ainda, as mudanças no edital. Dúvidas podem ser encaminhadas para o e-mail smma@curitiba.pr.gov.br.

Participaram da apresentação o assessor Sênior de Projetos da CFF no Brasil, João Fávaro de Oliveira; o pesquisador da Universidade Federal de Santa Catarina, Lucas Rafael do Nascimento; e o assessor técnico do gabinete da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, João Carlos Fernandes. O vice-diretor regional para a América Latina da Rede C40, Ilan Cuperstein, acompanhou a reunião.

O edital, que deve ser relançado em breve, contempla a instalação de mais de dez mil painéis totalizando 4,55 Mwp, em um prazo de 12 meses. O projeto foi elaborado com a consultoria da Rede de Cidades C40, em acordo com as regras de Geração Distribuída da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Segunda etapa

A Prefeitura está finalizando os procedimentos e em breve lançará editais para a segunda etapa do projeto, que prevê quatro sistemas fotovoltaicos que serão implantados nos telhados da Rodoferroviária e dos terminais de ônibus do Santa Cândida, Boqueirão e Pinheirinho. Juntos, os sistemas terão capacidade instalada de 8,1MWp e devem suprir mais de 40% do consumo de energia dos terminais municipais.

Novas reuniões técnicas serão promovidas para a apresentação do projeto.

Mais energia

As iniciativas fazem parte do programa Curitiba Mais Energia, que visa popularizar o uso da energia limpa na cidade e já foi responsável pela implantação de painéis fotovoltaicos no Palácio 29 de Março, no Salão de Atos do Parque Barigui, na Galeria 4 Estações do Jardim Botânico e pela CGH Nicolau Kluppel, que gera energia na queda d’água do Parque Barigui.

Convite do prefeito

Em um vídeo, transmitido antes da reunião, o prefeito Rafael Greca destacou a importância da Pirâmide Solar para a cidade e para o enfrentamento às mudanças climáticas. “Curitiba é protagonista em ações contra o aquecimento global e a pirâmide vai ser mais um símbolo da nossa eficiência energética”, anunciou.