Worktibas iniciam programa inédito de desenvolvimento sustentável

As startups dos Worktibas da Prefeitura iniciaram em setembro um inédito Programa de Desenvolvimento e Maturidade que busca ajudá-las a crescer de forma sustentável. A iniciativa tem como objetivo garantir que os produtos ou serviços ofertados pelos empreendedores sejam, realmente, soluções inovadoras para “dores/problemas” existentes no mercado.

Vinculados à Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, os Worktibas são coworkings públicos que dão apoio a empresas de Curitiba em estágio inicial, oferecendo gratuitamente espaços físicos de trabalho, infraestrutura e capacitações contínuas.

Todas as 48 startups curitibanas instaladas atualmente nos Worktibas (Cine Passeio, Barigui, Boqueirão e Digital) aderiram voluntariamente ao Programa de Desenvolvimento e Maturidade, que foi estruturado por integrantes do grupo de trabalho (GT) “Jornada de Apoio à Inovação” do Comitê de Governança do Vale do Pinhão.

“O programa foi pensado para potencializar nos empreendedores a cultura das startups, modelos de gestão ágil e técnicas de desenvolvimento de produtos e serviços voltados a uma sociedade conectada e digitalizada”, explica Marcelo Figueiral, idealizador do projeto e um dos líderes do GT.

No desenvolvimento do projeto, Figueiral usou toda a sua experiência como head de inovação em uma empresa brasileira de soluções de tecnologia. “O programa visa encurtar a curva de aprendizado destas empresas ao oferecer um raio X completo do negócio, além de possibilidade de conexões com profissionais e mentorias que ajudem a por em prática ideias e a cumprir metas com mais agilidade e menor risco”, observou.

Os empreendedores Yesica Vecchi e Barbara Moriel também participaram da estruturação do programa.

Cris Alessi, presidente da Agência Curitiba, destaca a mobilização de membros do GT do Comitê de Governança do Vale do Pinhão para estruturar o programa e avalia que a iniciativa deve ajudar a qualificar ainda mais as startups dos Worktibas, contribuindo para que elas ganhem maturidade em gestão e cresçam.

“Se uma startup depender apenas do desenvolvimento de soluções internamente, ela pode tardar demais em promover as mudanças ou melhorias que deveria. O programa permite que as empresas dos Worktibas realmente se conheçam e possam, de acordo com seu estágio de desenvolvimento, adotar estratégias e ferramentas que as auxiliem a ter escala”, ressalta.

Etapas

No início de setembro, as startups dos Worktibas começaram a participar do Programa de Desenvolvimento e Maturidade. Inicialmente, foi feito um diagnóstico do estágio do negócio de cada uma delas, a partir de uma “Matriz de Maturidade” especialmente desenvolvida para o programa. “Assistimos a pitchs gravados para o ingresso nos Worktibas este ano, fizemos entrevistas e avaliamos os projetos para que pudéssemos aplicar a Matriz de Maturidade em cada uma das startups dos Worktibas”, recorda Figueiroa.

Os empreendedores já receberam seus feedbacks e foram enquadrados em uma das quatro fases de negócio: aprendizado (que ainda permite mudanças no projeto e até pivotar, ou seja, mudar completamente de área), desenvolvimento/ajustar (a dor/problema está bem mapeado, mas o produto ou serviço ainda precisa ser desenvolvido), desenvolvimento/tracionar (a dor/problema e produto/serviço estão mais alinhados e o desafio é colocar o produto no mercado) e desenvolvimento/avançado (o desafio é focar em estratégias de marketing, vendas e táticas rápidas de crescimento).

Jornadas

A partir de agora as startups vão começar as jornadas de melhoria das soluções, com direito inclusive ao guia “Como Decolar seu Foguete”, que irá ajudá-los a definir o melhor caminho a seguir para crescer de forma sustentável. “O programa trabalha com a construção de um foguete, tendo sua base no aprendizado, o meio sendo o desenvolvimento e o topo do foguete o avançado ou decolagem”, resume Figueiral.

Após a localização de momento de cada empreendedor, é indicada a jornada que pode compreender a conexão com profissionais ou mentorias para acelerar o aprendizado e, é claro, o desenvolvimento.

Dependendo do estágio do negócio, os empreendedores poderão seguir três jornadas: Aprendizado (construção da cultura de startup enxuta, compartilhando conteúdos para o desenvolvimento de um negócio com base tecnológica), Desenvolvimento (foco em metodologias e ferramentas para aprimoramento de produtos e conhecimento do mercado) e Avançado (busca de investimentos e estratégias para acelerar o crescimento do negócio).

Oportunidade

Thales Cândido Gonçalvez, um dos sócios da startup UnboxCoffee, e-commerce de cafés artesanais brasileiros instalado no Worktiba Cine Passeio, está entusiasmado em participar do programa, pois avalia que as jornadas deverão ajudá-los a ter uma maior presença digital. “Ainda estamos no estágio de desenvolvimento com necessidade de ajustes e precisamos aprimorar nossas ferramentas tecnológicas, integrando marketing e vendas”, conta ele.

Elicéia Dalprá e Gislaine Queiroz são sócias da startup curitibana Única Entrega, especializada em delivery feito só com mulheres de motos ou carros, e já estão se preparando para iniciar sua jornada de crescimento através do programa. A empresa está instalada no Worktiba Boqueirão. “A Única Entrega está numa fase de desenvolvimento pronta para tracionar e o feedback já nos deu insights de como podemos continuar nossa curva de crescimento”, diz Gislaine.