Celepar incentiva desenvolvimento de propostas internas para resolver gargalos do Estado

Os colaboradores da Celepar apresentaram nas últimas semanas diversas propostas de melhorias na gestão e no atendimento aos clientes para a diretoria executiva da empresa. Essa é uma das etapas do Banco de Ideias, projeto que incentiva o corpo interno a apresentar soluções e inovações, tanto para a companhia quanto para a sociedade.

Dentre as ideias apresentadas, uma envolve a utilização de metodologias mais ágeis para o desenvolvimento de soluções tecnológicas. Foram discutidas estratégias para identificar melhor os retornos fiscais ao Estado e também o uso de inteligência artificial para auxiliar no monitoramento, segurança e também saúde dos cidadãos paranaenses.

“Temos vários especialistas e solucionadores na Celepar, e, neste projeto, demos oportunidade, espaço e voz a eles para trazerem ideias que possam ser transformadas em soluções. As ideias podem ajudar tanto em processos e ferramentas já existentes, quanto se tornarem novas soluções que possam trazer mais qualidade de vida ao cidadão paranaense”, disse o presidente da Celepar, Leandro Moura.

As ideias recebem mentorias para evoluírem, tendo estudos para aplicabilidade com visões de negócio e também de mercado. “Ao unirmos diferentes especialistas, podemos identificar aonde cada ideia pode chegar, às vezes pode ser parte de um projeto maior, ou chegar em locais que ainda não foram explorados”, ressaltou Moura.

Após a apresentação, os colaboradores receberam questionamentos dos diretores para defender as suas ideias, que seguem agora para uma etapa de análise e mensuração para averiguar a aplicabilidade. Posteriormente, será feito um aprimoramento, culminando ao final em uma votação entre os colaboradores da companhia para escolher a proposta vencedora, que será anunciada no aniversário de 57 anos da Celepar, em novembro.

O Banco de Ideias é um projeto contínuo, ou seja, as propostas recebidas continuam no ciclo de mentoria, validação e mensuração para se transformarem em possíveis soluções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *