Empresários apostam em mais empregos com recuperação da orla de Matinhos

Redes de microdrenagem e canais de macrodrenagem fazem parte das melhorias previstas no Litoral do Estado com o projeto de recuperação da orla de Matinhos. O edital de licitação foi lançado nesta semana pelo Governo do Estado. As obras serão executadas pelo Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest).

São medidas para mitigar os efeitos causados pela erosão e pelas inundações na região litorânea, a exemplo do que já foi feito na Avenida Kennedy, em 2000. A melhoria da qualidade de vida dos moradores e turistas no balneário Caiobá, em Matinhos, será estendida aos comerciantes e moradores de outros balenários, em um trecho de 6,3 quilômetros que vai receber investimento de R$ 377,85 milhões.

Para a empresária Marilene Romfeld, dona de um restaurante em Matinhos, a praia de Caiobá ficou mais bonita depois da intervenção e a frequência das pessoas aumentou ano a ano, sem contar o período de pandemia. É a mesma expectativa para as praias vizinhas.

“Estamos conscientes do potencial de independência que temos no Litoral e de que possuímos muita coisa para oferecer ao turista. A exemplo do que já foi feito antes, essas obras que complementam a faixa da praia já deveriam ter acontecido há muito tempo”, afirmou.

Ainda de acordo com a empresária, a região litorânea do Paraná tem beleza de sobra, mas ainda não tinha recebido a devida atenção do poder público. “Vamos conseguir atrair mais turistas, mostrar as belezas do Litoral, a capacidade que temos de oferecer hospedagem, bons serviços, gerar emprego e melhorar a vida dos moradores”, completou Marilene.

Ela cita, ainda, a necessidade de investimento desse porte em uma cidade cujas principais atividades econômicas estão diretamente ligadas ao comércio e o setor de serviços.

COMÉRCIO – Morador de Matinhos há mais de 24 anos e proprietário de um restaurante no balneário Betaras, Sidney Aparecido Agassi também está entusiasmado com o anúncio feito pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior nesta semana.

“Essa obra de revitalização da orla de Matinhos é discutida há quase 20 anos. Sonhamos com mais turistas e mais empregos para o Litoral do Paraná porque sabemos que Matinhos é um lugar próspero para passeios, descanso, entretenimento”, disse.

Além disso, ele conta que a expectativa dos comerciantes na região é gigantesca após a conclusão das obras, prevista para 2024 ou 2025. “Basta caminhar na beira-mar, como eu caminho todos os dias, para ver a situação dos balneários. Falta infraestrutura. Chegou a hora de mudar isso. Um investimento desse porte com certeza atrai outros investimentos”, completou.

O empresário destaca, ainda, a participação da comunidade nas audiências públicas que antecederam o edital, conforme previsto em lei. “Foram várias audiências públicas, o projeto foi diversas vezes explicado para os moradores e também apresentado na tradicional Festa de São Pedro, em Matinhos. Estamos falando de algo que com certeza trará muitos benefícios para a cidade”, disse.

Sidney Aparecido Agassi está entusiasmado com as obras. Foto: Sedest

MELHORIAS – O Governo do Paraná lançou, nesta semana, o edital de licitação para obras de recuperação a orla de Matinhos. As intervenções preveem a implantação de canais de macrodrenagem e redes de microdrenagem, a exemplo do que já foi feito na Avenida Kennedy, em Caiobá.

As obras serão executadas pelo Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest). Os canais de macrodrenagem serão instalados ao longo da orla, contribuindo para o escoamento das águas dos rios afluentes do mar e evitando as cheias.

De acordo com o diretor de Saneamento Ambiental e Recursos Hídricos do IAT, José Luiz Scroccaro, a construção dos canais na orla marítima deve ser acompanhada das obras de instalação de redes de microdrenagem nas ruas da cidade.

“São obras com canaletas retangulares que têm a função de melhorar a declividade. As estruturas são resistentes, com tampas removíveis e, portanto, fácil manutenção. As tampas também foram pensadas como continuação da via urbana, podendo ser utilizadas para a passagem de pedestres e veículos”, disse.

As obras acontecerão em duas etapas. O edital de licitação prevê, neste momento, as intervenções do Morro do Boi ao Balneário Flórida. A segunda etapa, a ser lançada em seguida, contempla as obras do Balneário Flórida ao Balneário Saint Etienne.

O diretor defende que essa segunda etapa é fundamental para o objetivo final de todo o projeto, que é de mitigar os efeitos de erosão e cheias que o litoral paranaense sofre atualmente. “Sem a revitalização do canal de Saint Ettiene, ainda teremos problemas por conta da pouca declividade do canal do Rio Matinhos. O Litoral do Paraná é bastante plano e necessita dessas obras para evitar as cheias”, disse.

Hoje, o canal da Avenida Paraná, que irá receber uma das maiores intervenções de microdrenagem, está com a aspecto abandonado, com grama, capim alto, e possui um escoamento muito lento. Com as obras, além de mais bonito, o canal irá proporcionar velocidade para o escoamento da água.

A recuperação a orla de Matinhos também compreende os serviços de engorda da faixa de praia por meio de aterro hidráulico, estruturas marítimas semirrígidas, revitalização urbanística da orla marítima, bem como a pavimentação e a recuperação de vias.

TRANSPARÊNCIA – Segundo o secretário do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, o projeto responde aos anseios da comunidade litorânea e elenca o princípio da sustentabilidade.

“Temos segurança técnica, jurídica, apoio de especialistas de universidades, da sociedade civil organizada e de diversas instituições. É uma obra que vai alavancar todo crescimento, desenvolvimento, geração de emprego e renda, melhorar a vida das pessoas, cuidar do meio ambiente e recuperá-lo ao mesmo tempo, evitar enchentes e doenças”, destacou.

O projeto foi executado pelo IAT e analisado pela equipe multidisciplinar da UFPR, através do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI). Já a minuta do edital e o elemento técnico instrutor tiveram a colaboração da Procuradoria-Geral do Estado (PGE).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *