Estado ativa mais 19 leitos de UTI exclusivos para Covid-19

A Secretaria de Estado da Saúde ativou nesta segunda-feira (31) mais 19 leitos de UTI para atendimento exclusivo à Covid-19. São 15 leitos na Região Metropolitana de Curitiba, sendo 11 no Hospital do Rocio, em Campo Largo, e três na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Tatuquara, na Capital. Outros cinco leitos são no Hospital Municipal de Cascavel, Oeste do Estado.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, com o aumento no número de casos confirmados nas últimas semanas em todo o Brasil, o Governo do Estado não mede esforços para que a população paranaense tenha acesso ao atendimento médico de qualidade, porém, mesmo com investimentos e estrutura física disponível, a mão de obra médica está cada vez mais escassa.

“Sem o apoio da população e adesão às medidas restritivas para frear a disseminação da doença, essas ampliações ficarão cada dia mais complicadas, pois infelizmente está cada vez mais difícil conseguir mão de obra e insumos para viabilizar o funcionamento dessas estruturas”, alertou o secretário.

A recomendação do governador Ratinho Junior, desde o início do seu mandato, é levar o atendimento médico de qualidade para perto da população.

“Estamos trabalhando incansavelmente para ampliar leitos exclusivos Covid em todo o Paraná. Ainda assim o Estado possui uma ampla rede hospitalar onde são concentrados os pedidos de transferências de pacientes entre os serviços de saúde”, disse o secretário. “Este remanejamento de pacientes é comum e pode ocorrer dentro das macrorregiões ou entre as macros, de acordo com a disponibilidade de leitos e visando um melhor e pronto atendimento ao paciente”.  

Na macrorregião Leste são 2.562 leitos entre UTIs e enfermarias; na macro Oeste, 763; na Noroeste, 709; e na macro Norte são 818 leitos.

Com essas ampliações o Estado soma agora 4.852 leitos para atendimento exclusivo à Covid-19. Destes, 1.976 são UTIs e 2.876 são leitos de enfermaria. A taxa de ocupação nesta segunda-feira (31) é de 95% nas UTIs e 83% nas enfermarias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *