Governo apresenta avanços e parcerias para fortalecer os ecossistemas de inovação

Promover os ambientes de inovação para alavancar o desenvolvimento regional e nacional. Com esse tema o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) realizou mais um evento do programa Teias da Inovação, nessa quinta-feira (19), no Parque Científico e Tecnológico de Biociências (Biopark), em Toledo, no Oeste do Paraná. No encontro, os representantes do Governo do Estado reforçaram os avanços nos ecossistemas de inovação paranaenses.

Esta edição marcou a retomada dos eventos de forma híbrida (presencial e online), debatendo a importância dos ambientes promotores de inovação para estimular o potencial de empresas e instituições no fomento do empreendedorismo inovador. A iniciativa contou com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Ao longo da programação, em diferentes painéis, o Marco Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação do Paraná recebeu destaque, sendo apontado como uma das principais estratégias governamentais brasileiras para impulsionar atividades de pesquisa e desenvolvimento. Englobando a Lei Estadual de Inovação e outros instrumentos normativos, o conjunto de legislações impacta a geração de produtos, processos e serviços inovadores, sem perder de vista a transferência e difusão tecnológica.

Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, em vídeo gravado especialmente para o evento, o intuito é integrar ainda mais os sistemas regionais de inovação paranaenses ao ecossistema nacional, a fim de atrair investimentos e prospectar novos negócios.

“Estamos entre os estados com maior número de startups e parques tecnológicos e contamos com editais públicos de fomento, além de uma grande rede de apoio das universidades públicas e particulares. No Paraná, tecnologia é parte inerente do dia a dia, e esse encontro é uma oportunidade única para os principais atores do Brasil e do nosso estado para estimular e alavancar o potencial das empresas e instituições que trabalham com inovação”, afirmou.

Um mapeamento recente, organizado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Paraná (Sebrae/PR), mostrou que, atualmente, o Estado soma 1.956 startups, e registra crescimento anual em torno de 36,4%. A expectativa é que milhares de outras empresas emergentes sejam formalizadas nos próximos anos, a maioria de base tecnológica.

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Paulo César Rezende de Carvalho Alvim, reconheceu o desempenho do Paraná e sinalizou a ampliação do apoio federal para fortalecer os sistemas regionais de inovação (SRIs), em todo o território estadual. “O Paraná tem se destacado na questão da inovação, nos desafios das novas gerações e no movimento de startups. Isso é fundamental e o governo federal é parceiro de iniciativas como essas”, afirmou.

Relacionando desenvolvimento econômico a aspectos sociais e de sustentabilidade, Alvin enfatizou a necessidade de promover oportunidades de trabalho e potencialidades de geração de riquezas. “É preciso integrar as potencialidades locais com as vocações propiciadas pelas instituições que fazem ciência e tecnologia. Essas ações inovadoras que estão se multiplicando pelo Paraná são estratégicas para o desenvolvimento do Estado, transbordando inclusive para outros territórios, o que ajuda a reduzir as diferenças”, pontuou.

Nos próximos meses, o MCTI vai destinar cerca de R$ 300 milhões para os parques tecnológicos e R$ 100 milhões para os centros de inovação, além de laboratórios de fabricação digital, os chamados fablabs (termo originário do inglês, fabrication laboratory). Depois de desembolsados, esses recursos devem fortalecer vários ambientes promotores de inovação em todo o Brasil.

AÇÕES – O superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona, apresentou diferentes ações empreendidas pelo Governo do Paraná, articuladas com os segmentos produtivos do meio acadêmico e empresarial. “O principal desafio é conectar esses atores em um ambiente colaborativo e de cooperação, promovendo uma interação entre a academia e o setor produtivo empresarial”, salientou.

Para o gestor, esse tipo de evento, protagonizado pelo MCTI, ajuda a superar os desafios, com foco na sustentabilidade dos polos tecnológicos locais e regionais. “A sinergia acontece na medida em as instituições se encontram para debater e discutir. Eventos como esse evidenciam o potencial do Oeste do Paraná, em relação ao desenvolvimento local e regional, constituindo uma rede em que os diversos atores trabalham em conjunto, movendo a hélice da inovação”, frisou o superintendente.

Entre as várias iniciativas, Bona ressaltou o Programa de Estímulo às Ações de Integração Universidade, Empresa, Governo e Sociedade, denominado Agência de Inovação para o Desenvolvimento Regional Sustentável (Ageuni), atualmente em fase de estruturação física em cada universidade estadual; e o Programa de Propriedade Intelectual com Foco no Mercado (Prime), que promove a pré-aceleração de projetos de pesquisa científica e tecnológica, desenvolvidos nas instituições de ensino superior públicas e privadas do Paraná.

“Temos feito um trabalho de articulação entre todas as instituições de ciência e tecnologia do Estado, incluindo as universidades estaduais, federais e privadas, na perspectiva de que a inovação aconteça de forma articulada e organizada”, completou Bona.

Marcos Pelegrina, coordenador de Ciência e Inovação da Seti, também destacou a atuação na área da Educação. “Nós da Secretaria de Ciências e Tecnologia temos de um lado sete universidades estaduais e do outro lado o setor empresarial. Estamos construindo pontes para que a academia se encontre com o mercado e a gente possa desenvolver a tecnologia. Nós criamos agências de inovação, nos aproximamos, por exemplo, do Sebrae. A Unioeste, por exemplo, tem feito parte desse processo, tanto que está aqui participando desse evento importante”, salientou.

O evento está disponível, na íntegra, no canal Teias da Inovação no YouTube.

PRESENÇAS – Em Toledo, o programa Teias da Inovação reuniu empreendedores, pesquisadores, professores e estudantes. Também participaram o superintendente de Inovação do Paraná, Andre Telles; o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig; o presidente do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), Jorge Callado; o coordenador do Sistema Estadual de Parques Tecnológicos do Paraná (Separtec), José Maurino de Oliveira Martins, no âmbito da Secretaria de Estado da Fazenda do Paraná (Sefa); o presidente do Biopark, Luiz Donaduzzi; o diretor de Negócios do Biopark, Paulo Victor Almeida; o diretor de Operações do Sebrae/PR, Julio Cezar Agostini; o presidente da Finep, general Waldemar Barroso Magno Neto; o diretor do Departamento de Empreendedorismo Inovador do MCTI, Marcos Pinto; o coordenador de Ciência e Tecnologia da Seti, Marcos Aurélio Pelegrina, entre outros.