Após resgate de 12 horas, Corpo de Bombeiros reforça as instruções para visitantes do Morro do Canal

No último final de semana, dias 28 e 29 de agosto, o resgate de duas pessoas no Morro do Canal, em Piraquara, mobilizou o Grupo de Operações de Socorro Tático do Corpo de Bombeiros do Paraná – GOST. Foram 12 horas, com início sábado e término no domingo, até a conclusão da incursão com todos em segurança.

De acordo com a equipe, os visitantes se perderam na chamada travessia entre o Morro do Canal e o Morro do Vigia. Por conta das condições climáticas adversas, os socorristas e as duas pessoas pernoitaram na mata. Participaram do resgate o 3° Sargento Ângelo, Cabo Alessandro, Cabo Barbaroto, Soldado Andrioli e Soldado Sandri.

A pedido do Departamento Municipal de Turismo, o Tenente Latuff do GOST encaminhou as seguintes orientações para os praticantes de montanhismo.

DICAS PARA MONTANHISMO SEGURO

1. Colete informações sobre o local a ser desbravado e faça um bom planejamento:

Hoje em dia, o montanhista de primeira viagem, ou até mesmo os mais experientes podem coletar grande parte, senão em sua totalidade, das informações na internet. Sendo assim, procure conhecer a montanha que pretende acessar, época ideal, roteiro do GPS, entre outras informações relevantes;

2. Compre e utilize o equipamento adequado:

Uma boa bota e mochila são suficientes para iniciar as caminhadas de um dia. Entretanto se o objetivo for pernoite, os equipamentos mínimos podem aumentar, sendo obrigatório o uso de barracas, saco de dormir, isolante térmico. Roupas e agasalhos extra podem ser facilitadores em casos de condições climáticas desfavoráveis. Não se esqueça de sempre levar uma lanterna de cabeça (com baterias sobressalentes).

3. Encontre parceiros e uma boa companhia:

O montanhismo é uma atividade predominantemente realizada coletivamente. No começo, as dificuldades são maiores e vale muito a pena a companhia de outras pessoas ao seu lado, de preferência com experiência no ambiente de montanha.

4. Tenha consigo alimentação suficiente:

Para trilhas de ida e volta no mesmo dia leve lanches rápidos, como sanduíches por exemplo. Alimentos leves e práticos, como frutas, castanhas e biscoitos são muito interessantes para uma rápida absorção pelo organismo em caso de um mal-estar repentino.

5. Mantenha-se treinado e procure descansar no dia anterior:

A estreia na atividade de montanha não é fácil, por isso, pratique exercícios aeróbicos antes de encarar a montanha, correndo pelas manhãs, trocando o elevador pela escada e tentando utilizar a bicicleta para ir até o trabalho, ao supermercado, etc. Tudo isso irá auxiliar, e muito, na primeira atividade, mas não deixe de descansar muito bem na noite anterior à atividade, deixando o corpo descansado para a sequência de exercícios exigida.

6. Quando na trilha, não subestime o desconhecido:

Diferente da cidade, na montanha levamos mais tempo para percorrer as distâncias habituais, tornando o desafio, por vezes, praticamente intransponível. Por isso, siga as orientações da trilha, utilizando o caminho habitual, seguindo as indicações existentes como fitas, setas e trilhas já indicadas.

7. Não se distraia:

Esteja sempre em estado de atenção, olhando sempre o caminho de ida e gravando pontos de referência, como rochas, árvores, marcos georreferenciais e fitas de sinalização. Em caso de desorientação, procure os mesmos pontos de referência e busque manter-se calmo.

8. Economize a bateria do celular:

Ao adentrar na trilha, acione o “Modo Avião” do dispositivo a fim de economizar bateria o máximo possível para em caso de emergência conseguir realizar o primeiro contato com as equipes especializadas ou o contato de emergência pré-determinado.

9. Em caso de emergência:

Caso seja necessário, realize os primeiros socorros a quem necessite, oriente-se e tente resolver o problema ocasionado. Caso não seja possível continuar a atividade de maneira segura, busque um abrigo ou local de fácil indicação (pontos de encruzilhada, descampados, cume) e realize o contato através do número de emergência “193” e indique sua posição através de coordenada geográfica para que seja possível o acesso até o grupo.

10. Enviando a sua localização:

Para conseguir saber sua coordenada geográfica, se o grupo não dispuser de um aparelho GPS, essa indicação pode ser facilmente extraída do aplicativo “Google Maps”. Ao abrir o aplicativo, clique no ponto que indica a sua posição momentânea, indicada por um círculo azul. Clique e segure na tela até que um alfinete vermelho seja inserido no local. Com o alfinete inserido, a barra superior mostrará uma sequência de 2 números, por exemplo: -25,450747,-49.206894. Essas são as coordenadas (latitude e longitude) para que o resgate possa identificar o ponto que a equipe se encontra e acessar ou orientá-la a respeito dos passos a serem seguidos.

11. Mantenha contato:

Busque manter contato com o resgate, via aplicativo de mensagens ou por telefone para manter os profissionais atualizados sobre as condições do socorro.

12. Evite contato desnecessário com as equipes de emergência:

Sempre avalie a real condição de resgate. Em caso de alguma lesão a alguém do grupo, tente sopesar se esta pessoa apresenta condições de caminhar, mesmo que lentamente até a base para o encaminhamento até um posto de saúde. Lembre-se que por se tratar de ambiente de montanha, o resgate levará certo tempo até acessar o grupo em caso necessário. Sendo assim, se o grupo estiver em condições de realizar o retorno até a base da montanha de maneira segura, mesmo que lenta.

13. Mantenha os familiares e amigos informados sobre seus planos:

Não é incomum os familiares ou amigos acionarem o socorro, indicando que o grupo foi para a montanha e não retornou no prazo estipulado. Porém, muitas das vezes, este grupo sequer foi até a montanha, ou até mesmo, já realizou a atividade e encontra-se em outro local. Portanto, sempre avise àqueles que sabiam a atividade que iria ser realizada sobre mudança de planos ou sobre a conclusão da atividade proposta.