Aprovado projeto de Francischini para desvio dos trens dos centros urbanos no Paraná

O projeto que prevê o desvio das linhas de trem dos centros urbanos no Paraná nos próximos contratos de concessão foi aprovado no plenário da Assembleia Legislativa, nesta terça-feira (29). A iniciativa do deputado Delegado Francischini tem a coautoria dos deputados Delegado Jacovós, Marcio Pacheco e Evandro Araújo.

A proposta define que na renovação das concessões, sejam previstas a retirada das linhas ferroviárias do transporte de cargas das áreas centrais nas principais cidades do estado.

Na capital, uma das ideias é transformar as linhas já existentes em outros modais de transporte, como os veículos leves sobre trilhos, auxiliando também no trânsito da cidade. E ainda a reurbanização, com áreas para lazer e espaços culturais.

“As linhas férreas são uma cicatriz cortando as cidades. Além da poluição e do barulho, há o risco constante de acidentes. Aqui mesmo em Curitiba um homem morreu na semana passada e o filho saltou para se salvar quando o carro foi arrastado por uma locomotiva. Mais um caso que mostra a importância deste projeto”, citou o deputado Delegado Francischini.

No Paraná 2019, foram registrados 146 acidentes com trens – incluindo colisões e atropelamentos. Em 2020 foram 167 ocorrências.

O parlamentar afirmar que a proposta tem o apoio do governo Ratinho Junior e a intenção da medida é “estabelecer melhorias entre as linhas férreas das Regiões Metropolitanas do estado do Paraná bem como a integração de estados e países vizinhos”.

O projeto recebeu parecer favorável em todas as comissões: CCJ; de Finanças e Tributação; de Fiscalização da Assembleia Legislativa e Assuntos Municipais; de Obras Públicas, Transporte e Comunicações e de Relações Federadas e Assuntos Metropolitanos.

Infraestrutura – O tema é pertinente e atual. Na sexta-feira (25), o Paraná recebeu a visita de uma comitiva, formada por membros do Ministério da Infraestrutura e do Ministério da Economia, para conhecer e discutir o novo projeto da Ferroeste. A ferrovia, com 1.285 km de extensão, vai ligar Maracaju (MS) ao Porto de Paranaguá, no litoral do Estado.

Além do setor produtivo, a capital paranaense também pode se beneficiar com a construção da estrada de ferro.

“O próprio governo deve analisar a possibilidade de a malha ferroviária ser desviada de Curitiba, fazendo com que os trens de carga deixem de transitar pela cidade. O nosso projeto já antecipou essa necessidade, incluindo outros grandes centros urbanos do estado”, afirmou Francischini.

Aprovado em primeira votação no plenário. Segunda discussão amanhã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *