Prefeitura de Curitiba vai testar o uso de plástico biodegradável para resíduos

Curitiba vai testar o uso de sacos plásticos feitos com matéria-prima biodegradável em lixeiras de parques e praças, limpeza e coleta de resíduos, além de feiras e equipamentos públicos.

Para tanto, cerca de 150 mil unidades do produto, feito com polímero de cana de açúcar, estão sendo doadas para o município pela empresa Earth Renewable Technologies (ERT), que tem unidade na CIC e recebeu a visita do prefeito Rafael Greca nesta quinta-feira (04/08).

Enquanto o plástico comum pode demorar até 500 anos para se desintegrar na natureza, o biodegradável some em cinco meses.

Segundo o prefeito, o uso de produtos mais sustentáveis é importante para diminuir o uso dos aterros sanitários, “e tornar nossa cidade e nosso mundo melhores”.

O prefeito estava  acompanhado do superintendente da Secretaria do Meio Ambiente, Jean Brasil. Representantes da Família Folhas, o personagem Fifo e seu pet Folheco também marcaram presença.

A Família Folhas representa as ações de sustentabilidade desenvolvidas na capital.

De acordo com o CEO da ERT, Kim Gurtensten, a empresa está prestes a completar um ano de funcionamento em Curitiba. A empresa produz o polímero que pode ser utilizado para confecção de diversos utensílios e embalagens.

A ERT produziu um gibi compostável (que se degrada facilmente) da Família Folhas especialmente para o encontro com o prefeito.

“Para nós, que crescemos em Curitiba com o conceito da Família Folhas e da capital ecológica, é um grande orgulho apresentar essa tecnologia à Prefeitura”, afirmou Gurtensten.

Acompanharam a visita o diretor de crescimento da ERT, Emanuel Martins; e a diretora de Gente e Gestão, Gabriela Gugelmin.

Polímeros biodegradáveis

A empresa é a primeira indústria do país a produzir plásticos a partir de polímeros biodegradáveis e compostáveis. Esses polímeros são plásticos de base orgânica, feitos a partir de materiais renováveis, que oferecem a marcas de todos os segmentos a possibilidade de substituir suas embalagens tradicionais por outros recipientes plásticos para qualquer uso e em qualquer formato, mas tendo em comum o fato de serem totalmente funcionais, biodegradáveis e compostáveis.

A fibra foi patenteada como a primeira tecnologia capaz de modificar drasticamente a performance de biopolímeros e entregar aplicações antes desconhecidas para estes materiais.