Ações sustentáveis e tecnologias da Celepar ajudam na preservação do meio ambiente

Neste dia 05 de junho é celebrado mundialmente o Dia do Meio Ambiente, e, neste tema, a Celepar possui inúmeras ações e sistemas que contribuem positivamente para a preservação e gestão dos recursos naturais. O trabalho acontece dentro da própria estrutura física da empresa e em apoio aos demais órgãos públicos do Estado.

A empresa possui diversas ações internas voltadas à sustentabilidade, como o Transporte Livre, que incentiva o uso de bicicleta e meios de transporte alternativos no dia a dia do trabalho, com apoio de um bicicletário com mais de 70 vagas, bem como vagas destinadas a quem vem de carona com outros colaboradores.

Dentro das atividades sustentáveis está um programa de gestão de resíduos sólidos e coleta seletiva. Os materiais são destinados para a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis “Protetores do Meio Ambiente”. Além disso, a Celepar realiza coleta de óleo vegetal. Os restos são encaminhados para usinas específicas e transformados em biodiesel. No ano passado foram reciclados mais de 65 litros de óleo vegetal.

A empresa disponibiliza, ainda, quatro coletores de Lixo Eletrônico, um na matriz, e outros três atendendo Paranaprevidência, Palácio das Araucárias e Secretaria da Fazenda (todos do Governo do Estado). Nesses coletores são depositados monitores, mouses, impressoras, HDs, controles remotos, celulares e diversos materiais eletrônicos fora de uso que são reciclados. No ano passado, 42,8 kg de resíduos eletrônicos foram reciclados.

Na sede da Celepar também está instalada uma das maiores usinas fotovoltaicas de Curitiba, geradora de energia limpa e sustentável. A usina contempla um total de 248 painéis, ocupando uma área de 370 metros quadrados, que produziram em 2020 um total de energia de 110.541,6 kWh, gerando economia de, aproximadamente, R$ 85 mil na conta de energia elétrica da companhia.

“As iniciativas e sistemas criados pela Celepar auxiliam na proteção e conservação do meio ambiente. Desde a eliminação da necessidade do papel, com a migração para o digital, até no uso de energia limpa e promoção de atividades sustentáveis, como o incentivo de andar de bicicleta ao trabalho, evitando, assim, maior poluição, e a coleta de lixo eletrônico, que, por sua vez, faz a destinação correta destes insumos”, disse o presidente da Celepar, Leandro Moura.

Ele lembrou que esta gama de iniciativas também está alinhadas ao compromisso da Celepar e do Governo do Estado de atender os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), metas elaboradas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para promover um mundo melhor para as futuras gerações, com compromisso até 2030.

TECNOLOGIA 

Também fazem parte dessa preocupação com o meio ambiente as atividades-fim da empresa. Uma das principais soluções tecnológicas desenvolvidas pela Celepar em parceria com o Instituto Água e Terra (IAT), vinculado à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e Turismo (Sedest), é o Sistema de Gestão Ambiental (SGA). Desde 2014 a solução recebe constantes evoluções e atua em 12 linhas de licenciamentos ambientais, que englobam mais de 1000 atividades econômicas, com destaques para comércio, serviço, indústria, agropecuária e também gestão de resíduos.

Os principais usuários deste sistema são órgãos que apoiam ou fiscalizam licenciamentos ambientais, prefeituras, IAT e representantes de empreendimentos. “Os processos no IAT estão se tornando mais ágeis, seguros e modernos com o apoio da Celepar. Estamos sempre capacitando nossos servidores para que sejam aliados das tecnologias, diminuindo o uso do papel”, disse o diretor-presidente IAT, Everton Souza.

Pelas tecnologias adotadas da Celepar, também é possível monitorar a ferrugem asiática na cultura da soja pelo IDR-Paraná, que permite avaliar a necessidade de controle da doença, o que resulta na redução do uso de agrotóxicos.

Outra solução criada para a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) realiza o cruzamento de dados de culturas e de receitas emitidas de agrotóxicos, que identificam áreas passíveis de fiscalizações, para, por exemplo, evitar o uso de certos defensivos em áreas de culturas sensíveis como a apicultura (abelha) e a sericicultura (bicho-da-seda).

Para a Defesa Civil foi elaborado um sistema que auxilia nas tomadas de decisões em casos de acidentes com materiais com potencial de contaminação ambiental, que traz informações essenciais como a presença de rios, estradas, bombeiros, polícia, IAT, entre outros, além do monitoramento online de focos de incêndios e previsão diária de queimadas com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

Outra tecnologia é o geoprocessamento, com dados vetoriais e mapas que ajudam na preservação do meio ambiente.

“O uso da inteligência geográfica auxilia o IAT a analisar de maneira acurada e criteriosa os diversos ativos ambientais do Estado, além de subsidiar projetos de preservação do meio ambiente, desenvolvimento sustentável, interesse social, atividades de planejamento, licenciamento e fiscalização ambiental”, ressaltou Sônia Burmester, do Núcleo de Inteligência Geográfica e da Informação do IAT.

HISTÓRIA 

O Dia Mundial do Meio Ambiente faz alusão à Conferência de Estocolmo, realizada no dia 5 de junho de 1972, evento que marcou uma mudança no modo de ver e tratar questões ambientais ao redor do mundo, além de estabelecer princípios e orientações de políticas ambientais globais. Desde então, a data marca a importância da preservação do meio ambiente e dos recursos naturais.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *