Audiências públicas dos deputados resultaram na mudança do pedágio no Paraná

Mobilização da Frente Parlamentar sobre o Pedágio, da bancada paranaense no Congresso Nacional, do setor produtivo e a participação do governador Ratinho Júnior, foram decisivos para alterar o modelo das novas concessões de pedágio e atender os interesses dos paranaenses.

A discussão do pedágio, que se arrasta por mais de 20 anos, ganhou novo protagonismo que alterar o modelo proposto pelo governo federal. Embora seja motivo de comemoração por parte dos atores envolvidos, a polêmica do pedágio paranaense está longe de ter um fim. Começa agora a remodelação por menores tarifas e mais obras e o processo de licitação.

O governador Ratinho Junior destacou a vitória paranaense em relação ao novo modelo de pedágio que agora prioriza tarifa baixa com mais obras e sem outorga. “Nós convencemos o Ministério da Infraestrutura a modificar o projeto proposto pelo governo federal”. 

Ratinho Junior creditou a conquista à união entre os diferentes atores da sociedade, fundamental, segundo ele, para dar força às alterações no projeto, unindo os deputados da Assembleia Legislativa, da bancada federal, da sociedade civil organizada e da iniciativa popular.

Bancada
O senador Flávio Arns (Podemos) disse que os senadores Alvaro Dias e Oriovisto Guimarães – os dois também do Podemos – e a bancada dos deputados paranaenses em Brasília fecharam com a posição unânime do estado pela menor tarifa e sem taxa de outorga no próximo leilão das estradas pedagiadas.”Há consenso, uma convergência de todos os setores do Paraná em relação ao pedágio. Está muito claro que queremos a menor tarifa, sem taxa de outorga e sem degrau tarifário.

Arns acompanhou várias audiências públicas e destacou a posição do deputado Luiz Cláudio Romanelli (PSB) de que o menor preço pode chegar a 70%. “Esperamos que Romanelli e Arilson (deputado Arilson Chiorato, PT), bem como representantes do G7 – setor produtivo – tomem assento na comissão que fará a remodelagem do processo do pedágio”, recomendou.

O paranaense enviou ofício dia 22 de abril ao presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado, Dário Berger (MDB-SC), propondo a realização de audiência pública para discutir a proposta da União para a concessão de rodovias, visto que reuniões sobre esse assunto apontam que os atuais critérios de leilão não atendem ao interesse público e devem ser discutidos no âmbito do Poder Legislativo.  

Unidade
O senador Alvaro Dias observou que “poucas vezes se viu reação tão competente das instituições e da política”. “O Estado fortaleceu sua reivindicação na unidade das lideranças do setor produtivo , entidades e políticos. É um exemplo de que conquistas são viáveis quando nos unimos. Certamente neste caso o Estado se protege de prejuízos futuros”.

Para o deputado Toninho Wandscheer (Pros), coordenador da bancada paranaense no Congresso, o esforço de políticos e lideranças empresariais conseguiu reverter a intenção do governo federal em adotar um modelo de pedágio nocivo ao Paraná. “Nós da bancada paranaense no Congresso Nacional sempre defendemos a menor tarifa e mais obras nas rodovias paranaenses”, disse. 

“O senador Flávio Arns, como representante da bancada, esteve presente em diversas audiências e reuniões levando nossa posição. Destaco as ações d a Frente Parlamentar contra o Pedágio, em especial do deputado Luiz Claudio Romanelli que tem se dedica a esta causa paranaense”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *