Cônsul do Japão visita escola cívico-militar que celebrou imigração japonesa

O cônsul-geral do Japão em Curitiba, Takagi Masahiro, visitou na tarde desta quinta-feira (29) o Colégio Estadual Beatriz Faria Ansay, uma das nove escolas do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim) no Estado.

A unidade situada no Tatuquara, sul da Capital, foi reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) neste mês por ter realizado a melhor prática do Projeto Valores, ação do Pecim que visa desenvolver virtudes nos estudantes através de atividades lúdicas, reflexivas e conceituais que contemplem períodos definidos pela escola e os valores a serem desenvolvidos de forma individual e coletiva.

No Paraná, o Projeto Valores é desenvolvido dentro da disciplina de Cidadania e Civismo, na qual a equipe pedagógica e o corpo docente do Beatriz Ansay planejaram realizar atividades especiais relacionadas a datas cívicas oficiais. Uma delas, no mês passado, foi sobre o dia da imigração japonesa no Brasil (celebrado em 18 de junho), feito por Meet, uma vez que o colégio retomou as atividades presenciais em 24 de junho.

Foram apresentados vários trabalhos relacionados à cultura, folclore, atividades profissionais, manifestações religiosas, artes marciais, artes em geral e personalidades japonesas, além de toda a história, ciclos de imigração e evolução da sociedade nipo-brasileira desde a primeira vinda do navio Kasato Maru em 1908. A Banda Musical do Colégio, sob regência do maestro Almir Cordeiro, também se apresentou durante a visita do diplomata.

“A aula cívica do nosso colégio foi escolhida como exemplo pelo Ministério da Educação para ser replicada nas demais escolas que compõem o programa no Brasil. É uma satisfação ver o trabalho de boas práticas ser reconhecido”, disse o coronel da reserva da Força Aérea Brasileira (FAB), João Carlos da Silva Cardoso, oficial de gestão escolar do colégio.

O diretor Sandro Mira conta que neste ano os professores já haviam abordado o aniversário de Curitiba e o Dia de Tiradentes (da Inconfidência) como temas das aulas. “Além das aulas de Cidadania e Civismo, especialmente com as professoras Bruna Maier e Maristela Carlos, buscamos realizar um trabalho interdisciplinar, neste caso com professores de História, Geografia e Educação Artística”, afirmou.

Após assistir as apresentações da banda, de estudantes do 6º e 8º anos sobre a imigração japonesa e de uma exposição de desenhos de Anime e Mangá, Masahiro visitou uma sala e depois agradeceu a receptividade.

“Foi uma apresentação maravilhosa, fiquei muito emocionado e agradecido por estar aqui e ver essa política de buscar uma convivência internacional e de aprender nesse ambiente de abertura e amizade”, relatou o diplomata, que iniciou conversas para uma possível colaboração do consulado ao colégio no futuro.

Ele também comentou sobre as Olimpíadas de Tóquio, mencionando a pódio histórico do skate street feminino, com as adolescentes de 13 anos de Japão e Brasil, Momiji Nishiya e Rayssa Leal, ganhando as medalhas de ouro e prata, respectivamente.

No fim, como desejo de prosperidade, Mashario recebeu um pote de mel da aluna Aitana Rosa, de 10 anos, do 6º ano. A lembrança foi produzida pelo pai apicultor e decorada pela mãe da estudante.