Volume de carga movimentada em contêineres aumenta 13% no Porto de Paranaguá em 2021

O volume de produtos importados e exportados em contêineres cresceu 13% no Porto de Paranaguá neste ano. De janeiro a setembro de 2021, foram movimentadas 8.908.358 toneladas de carga em 704.474 TEUs (unidade do contêiner de 20 pés). No mesmo período do ano passado foram 7.861.213 toneladas em 675.808 TEUs.

“Temos aqui no Porto de Paranaguá um terminal de contêineres que registra aumentos consecutivos, mês a mês”, afirma o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia.

Segundo o executivo, apesar das operações de contêineres serem privadas, a empresa pública atua alinhada com o objetivo de trazer mais cargas e investimentos à cidade e ao Porto de Paranaguá. “Esse trabalho conjunto faz com que os resultados sejam garantidos nos números que se apresentam”, completa.

A Portos do Paraná dá ao terminal todas as condições – seja na coordenação das operações, seja na infraestrutura, principalmente marítima, com a dragagem de manutenção permanente e a obra de derrocagem – para que tenham segurança em prospectar.

“O aumento consecutivo no número de cargas movimentadas pelo terminal de contêineres mostra o protagonismo de Paranaguá no comércio exterior e é um reflexo do trabalho feito em conjunto entre a TCP e as autoridades portuárias para garantir a confiabilidade no embarque e desembarque, a disponibilidade de janelas de atracação e alta produtividade”, ressalta Thomas Lima, diretor Institucional e Comercial da TCP, que opera o terminal.

NÚMEROS – Segundo o balanço até setembro, no sentido exportação foram 4.741.624.470 toneladas de carga movimentadas em contêineres. Na importação foram 3.999.533.128 toneladas.

A carne de aves congeladas representam 36% de todo o volume de carga exportada em contêineres pelo Porto de Paranaguá. Também se destacam os volumes de madeira (709.137 toneladas, 17% do total), celulose (266.676 toneladas, 7%) e papel (234.937 toneladas, 6%).

Nas importações de cargas conteinerizadas, os fertilizantes respondem por 11% do total, com 345.642 toneladas, seguidos por plástico (266.493 toneladas, 9% do total), outros produtos químicos orgânicos (170.279 toneladas, 6%) e equipamentos elétricos (140.391 toneladas, 5%).