Inspirado na Família Folhas, curitibano já ajuda no aumento da coleta seletiva

Separar o lixo contribui para a preservação do meio ambiente e desde março a Família Folhas voltou a inspirar os curitibanos a fazer a triagem.

Apenas em junho, 60 toneladas a mais de resíduos recicláveis deixaram de ser destinados ao aterro sanitário com o lixo comum. Mensalmente, são coletadas em média 1.300 toneladas de recicláveis e, em junho, o volume subiu para 1.360 toneladas.

É como se, em um mês, a Prefeitura fizesse um dia extra de recolhimento de jornais, revistas, caixas de leite, latas, alumínio, garrafas, vidros e frascos plásticos previamente separados pela população, que vem aderindo à campanha com os divertidos personagens da Família Folhas.

Para a comerciante Débora Vander Brock, de 39 anos, a Família Folhas é uma inspiração de longa data. “Desde a infância em conheço o Seu Folha e a Dona Fofô, quando meus pais me ensinaram o hábito de reciclar justamente porque aprenderam com a campanha original”, recorda a moradora do bairro Sítio Cercado.

Agora, com os novos membros da família mais verde de Curitiba, a população está aprendendo novas práticas de sustentabilidade, salienta a comerciante.

“Aqui em casa, nós sempre separamos o lixo orgânico do reciclável. Desde a volta das campanhas, sinto que os meus vizinhos também estão mais conscientes e até o condomínio mudou a postura para que os moradores possam fazer a separação corretamente”, conta Débora.

Com o apoio da Família Folhas, Débora se sente mais segura para instruir a família sobre a importância de separar o lixo comum do reciclável e aprimorar seus hábitos. “A Família Folha é educacional e importantíssima para que a nova geração entenda essa responsabilidade com o meio ambiente”, reforça.

Faça a sua parte

Recicláveis demoram anos, décadas e até séculos para se decompor no meio ambiente. Por isso, a importância da coleta seletiva vem sendo estimulada pelos personagens da nova Família Folhas.

“Os recicláveis são reaproveitados e se transformam em outros produtos, evitando novos processos de extração de matérias-primas da natureza”, reforça o diretor de Limpeza Pública da Secretaria do Meio Ambiente, Edelcio Marques dos Reis.

Ou seja, a reciclagem beneficia o meio ambiente já que o material arrecadado deixa de ser levado para aterros e lixões, onde não é apropriadamente tratado.

“Adotar essa ideia e ter ações diárias de reciclagem não requer mudanças de estilo de vida tão dramáticas como pode parecer à primeira vista. Geralmente, em uma casa ou empresa, há mais resíduos recicláveis do que não recicláveis”, reforça Reis.