Prefeitura de Pinhais disponibiliza autoteste de HIV para população em situação de vulnerabilidade

Entre as atividades realizadas pelo Centro de Controle de Agravos (CCA) de Pinhais está o atendimento de casos de Aids no município, e como parte das ações de enfrentamento está a disponibilização de autoteste de HIV. Dados do CCA apontam que de 2017 a 2021 foram identificados 291 casos de Aids em adultos no município.

Este teste representa mais um passo frente aos esforços para aumentar a autonomia do indivíduo, descentralizar os serviços e criar demanda de testes de HIV entre aqueles não alcançados pelos serviços ou que precisam ser testados com mais frequência devido à exposição contínua ao risco, ou seja, que precisam ser testadas com frequência devido à sua maior vulnerabilidade ao risco de contrair HIV.

A quem se destinam os autotestes de HIV?

Segundo diretrizes do Ministério da Saúde os autotestes estão disponíveis para, homens que fazem sexo com homens (HSH), população trans, trabalhadores(as) do sexo, população privada de liberdade e pessoas usuárias de álcool e outras drogas.

Qual o local para retirada do autoteste?

Os autotestes devem ser solicitados na recepção do Centro de Controle de Agravos (CCA):

Endereço:  Rua Quinze de Novembro, 92, Centro de Pinhais, das 8h às 17h. Informações via whatsapp: 41 99219-0966.

O que é um autoteste?

O autoteste é muito simples de fazer. Ele funciona da mesma forma que os testes rápidos utilizados em serviços de saúde ou em ações de promoção da saúde, com a diferença que é feito pela própria pessoa, em casa ou em qualquer lugar, no momento que preferir, sozinho ou com alguém em quem confia. O exame pode utilizar fluido oral ou sangue, a depender do tipo de teste escolhido. Basta seguir o passo a passo. Ele é intuitivo e muito fácil de interpretar.

Quais são os possíveis resultados do teste?

Os resultados que podem aparecer são: “reagente” ou “não reagente”.

Ao verificar que o resultado é “reagente”, ou seja, positivo, isso indica que a pessoa pode estar infectada pelo HIV. Nessas situações, só o profissional de saúde poderá dar o diagnóstico definitivo. E caso se confirme a infecção pelo HIV, será feito o encaminhamento aos serviços de referência para iniciar o tratamento. Assim, evita-se a evolução da doença e garante-se a qualidade de vida, mesmo vivendo com o vírus.

Um teste não reagente (negativo) significa que o corpo não possui anticorpos contra o HIV no momento da testagem. Na ausência de comportamento de risco ou exposição acidental no período de janela imunológica não há necessidade de realização de um novo teste. Caso persista a suspeita de infecção pelo HIV, um novo teste deverá ser realizado em 30 dias. É indicada a continuidade da proteção e adotar a prevenção como um estilo de vida, com o uso de preservativos (masculino ou feminino).

Se o teste for “inválido”, deve ser descartado e realizado um novo teste. Às vezes, por problemas de má manipulação ou até mesmo situações adversas, o resultado pode ser “indeterminado”.

Nas situações de possível exposição ao HIV, quanto tempo preciso esperar para fazer o autoteste?

Antes de falar sobre o tempo, é importante que você entenda o termo “janela imunológica”.

A janela imunológica é o período entre a infecção e a produção de anticorpos contra o HIV pelo seu organismo. O autoteste não detecta o vírus, mas sim os anticorpos, ou seja, a reação do corpo ao HIV. Geralmente, esse prazo é de 30 dias após a exposição, mas também pode variar de acordo com a produção de anticorpos anti-HIV produzidos pelo sistema de defesa do organismo e com os componentes do teste. Portanto, antes de realizar a testagem é indicado verificar a bula do teste.

Então, casa haja histórico de sexo com penetração sem uso da camisinha (feminina ou masculina), compartilhamento de objetos perfurocortantes, como agulhas, com parceiros ou parceiras que não sabem se têm ou não o vírus, a pessoa pode ter se exposto a uma situação de risco de infecção.

Como funciona o autoteste de HIV?

O autoteste tem o papel de detectar anticorpos contra o vírus que estão presentes na pessoa com HIV. Por esse motivo, não deve ser realizado durante a janela imunológica, pois nesse período ele pode apresentar resultados negativos (não reagentes), mesmo que a pessoa esteja infectada pelo HIV.

Por que fazer o autoteste?

É muito importante saber se tem o vírus, pois, quanto antes souber, mais cedo pode começar o tratamento e evitar a evolução para a doença. Infelizmente, muitas pessoas só sabem que estão com o vírus quando começam a adoecer, apresentando os sintomas da Aids. Iniciando o tratamento o quanto antes, evita-se o adoecimento, dando à pessoa qualidade de vida. Além disso, o tratamento diminui o risco de transmitir HIV para outras pessoas.

Saber se tem ou não tem o HIV é também uma forma de proteção, podendo utilizar o autoteste ou, se preferir, procurar um serviço de saúde para se testar. Não fique em dúvida!