Governo e prefeitos estudam novas ações de enfrentamento à Covid-19 no Litoral

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) promoveu nesta quinta-feira (20) reunião com prefeitos, secretários municipais e deputados ligados ao Litoral do Estado para articulação de novas ações de enfrentamento à Covid-19 na região.

As lideranças externaram a preocupação de que as medidas restritivas implementadas especialmente em Curitiba e Região Metropolitana possam ter reflexo no Litoral, atraindo mais pessoas para essas localidades, resultando em aglomerações e reuniões proibidas na Capital, principalmente aos finais de semana.

“Pedimos aos prefeitos e secretários municipais que falassem sobre a realidade de cada um dentro do atendimento hospitalar e de todas as ações que compõem o enfrentamento à Covid-19 no Litoral para articularmos novas ações nesta região”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. “Estamos analisando as estruturas já existentes e pretendemos ampliar a capacidade de atendimento, dentro de uma reorganização da rede assistencial hospitalar na região”, acrescentou.

HOSPITAL REGIONAL 

O Hospital Regional do Litoral (HRL) possuía 14 leitos de UTI geral antes da pandemia. Atualmente a unidade conta com mais 35 UTIs e 41 enfermarias somente para o atendimento exclusivo à Covid-19.

“O Governo do Estado mais que dobrou a oferta de leitos no Hospital Regional, garantindo o atendimento geral e possibilitando atendimento exclusivo aos acometidos pela Covid-19”, afirmou Beto Preto.

MAIOR CIRCULAÇÃO 

Estima-se que, em média, 300 mil pessoas residam no Litoral, mas atualmente cerca de 400 mil estejam circulando nos sete municípios da região litorânea do Estado. Segundo os prefeitos, o aumento deste número é perceptível durante a pandemia, já que algumas pessoas que possuem casas no Litoral estão trabalhando em home office ou cumprindo quarentena nestes municípios mais afastados da Curitiba.

“Anteriormente, esperávamos maior circulação de pessoas durante o verão, mas na pandemia essas pessoas têm se mantido no Litoral e, consequentemente, esse aumento constante reflete diretamente no sistema de saúde dos municípios”, disse José Carlos Silva de Abreu, diretor da 1ª Regional de Saúde de Paranaguá, que abrange os municípios do Litoral.

Os municípios não descartam a possibilidade de retomada de barreiras sanitárias nas estradas para impedir a entrada de pessoas que não residam ou trabalhem no Litoral.

Se confirmadas, as ações devem ter o apoio das forças de segurança do Estado como Polícia Militar e Polícia Rodoviária Estadual.

PRESENÇAS 

Participaram da reunião o presidente da Funeas, Marcello Machado; os responsáveis pelos setores de diretoria de Gestão em Saúde da Sesa, Obras e assessoria de gabinete; os deputados estaduais Alexandre Curi, Anibelli Neto e Nelson Justus; o prefeito de Paranaguá e presidente da Associação dos Municípios do Litoral do Paraná, Marcelo Roque; os prefeitos Roberto Justus, de Guaratuba, Rudão Gimenes, de Pontal do Paraná e Junior Brindarolli, de Morretes. Os secretários municipais de Saúde, Vinicius Juliano Uyemura (Morretes), Odileno Garcia Toledo (Antonina) e Carmen Moura (Pontal do Paraná).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *